Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
8

Satélite alemão em rota de colisão com a Terra

A agência espacial norte-americana já está de olho noutro satélite que vai cair descontrolado no planeta Terra. As previsões da NASA apontam o impacto do RoSat para o final do mês ou início de Novembro. As probabilidades de acertar em alguém são superiores às do satélite UARS, que se despenhou no oceano Pacífico na manhã de 24 de Setembro.
2 de Outubro de 2011 às 01:00
satélite, colisão, terra
satélite, colisão, terra FOTO: d.r.

O alerta foi dado pela Agência Espacial Alemã, responsável pelo satélite RoSat, que dá conta da possibilidade de 30 fragmentos resistirem à reentrada na atmosfera terrestre. No total serão cerca de 1,6 toneladas de detritos que vão colidir com a Terra. O maior dos objectos será o espelho do telescópio do satélite, pois foi construído para resistir a temperaturas bastante elevadas.

Em comparação com o satélite UARS, o RoSat é bem mais pequeno. O primeiro tinha o tamanho de um autocarro e pesava cerca de seis toneladas, enquanto o alemão pesa 2,4 toneladas. As probabilidades de os detritos atingirem um ser humano são maiores no RoSat (1 em 2000) do que eram no UARS (1 em 3200).

À semelhança do que aconteceu com o satélite UARS, as agências espaciais mostram muitas reservas em apontar um local de impacto para o RoSat. A um mês da colisão, qualquer zona entre os 53 graus de latitude Norte e Sul é de risco. Os problemas de cálculo são semelhantes aos verificados com o UARS, ou seja, a interferência da atmosfera terrestre, a velocidade (28 mil km/h) a que se desloca e o tempo que demora a completar uma órbita (90 minutos) tornam imprevisível o impacto.

"É impossível dar o local e hora exactos. Previsão precisa só umas horas antes da colisão", diz Heiner Klinkard, do departamento de detritos espaciais, da Agência Espacial Europeia.

satélite colisão terra
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)