Barra Cofina

Correio da Manhã

Tecnologia
3

Viagem a Marte só em 39 dias

Uma missão tripulada a Marte é um desafio avassalador que se situa quase no limite das capacidades tecnológicas actuais.
24 de Outubro de 2009 às 00:30
Viagem a Marte só em 39 dias
Viagem a Marte só em 39 dias

Utilizando os foguetes químicos tradicionais, uma eventual viagem até Marte leva cerca de seis meses, na melhor das hipóteses, o que no total de ida e volta se traduz em dois anos, a maior parte do tempo reservada para esperar por um alinhamento planetário correcto para regressar.

E para que seres humanos viajem com segurança a Marte, e mais além, será importante fazê-la o mais rapidamente possível, reduzindo assim a exposição da tripulação à imponderabilidade e à radiação espacial (o factor mais limitante, para além do económico).

A solução, depois de cinquenta anos a utilizar comburentes químicos, parece estar num motor a plasma desenvolvido pela empresa Ad Astra Rocket, da Costa Rica, que promete uma viagem rápida a Marte em apenas 39 dias.

A empresa conseguiu já um contrato com a NASA para testar o propulsor de 200 kW VASIMR engine na Estação Espacial Internacional (ISS) em 2013.

Os testes na ISS levam impulsos periódicos à estação espacial, que perde gradualmente altitude devido ao arrasto atmosférico (atrito com o ar). Actualmente, os impulsos são realizados por uma nave com motores convencionais, que consomem 7,5 toneladas de combustível por ano. O motor VASIMR proporcionará à NASA uma economia de milhões de euros: necessitará apenas de 0,3 toneladas de árgon.

Os foguetes actuais queimam o combustível e os gases são expelidos para trás em grandes quantidades. Isto provoca uma aceleração muito forte, mas em poucos minutos são consumidas toneladas de combustível. No entanto, o motor de plasma tem uma aceleração muito pequena, a ponto de o tornar inútil para descolar de um planeta. Ao contrário, é ideal para uma viagem interplanetária, a partir da órbita de um corpo celeste e onde já não exista fricção atmosférica.

PRÓXIMOS LANÇAMENTOS

- JUNO País: EUALançamento: Julho 2010-Objectivo: Orbitador polarde Júpiter

-VENUS CLIMATEORBITER – PLANET CPaís: JapãoLançamento: Maio 2010Objectivo: Orbitador de Vénus

-MARS SCIENCE LABORATORYPaís: EUALançamento: 2011Objectivo: Robô laboratório marciano

-PHOBOS-GRUNTPaís: RússiaLançamento: Novembro 2011Objectivo: Aterragem e recolha de amostras da lua Fobos de Marte

-YINGHUO-1País: ChinaLançamento: Novembro 2011Objectivo: Orbitador marciano

-BEPICOMBOPaís: Europa/JapãoLançamento: Setembro 2012Objectivo: Orbitador duplode Mercúrio

-MAVENPaís: EUALançamento: Dezembro 2013Objectivo: Orbitador marciano

-SOLAR ORBITERPaís: EuropaLançamento: 2015Objectivo: Orbitador solar

NASA DEVE DEIXAR A LUA

Um painel especial independente, nomeado pelo presidente norte-americano, Barack Obama, para examinar o programa de exploração espacial tripulado, afirmou que o plano da NASA para revisitar a Lua é uma missão errada com o foguetão errado.

No relatório, o presidente da comissão, Norman Augustine, antigo patrão do grupo Lockheed Martin, sustenta que faz mais sentido para a NASA considerar aterrar num asteróide ou numa das duas luas de Marte.

DATAS DA CIÊNCIA

1984. 26 Outubro

Uma recém-nascida americana, Baby Fae, recebeu um transplante de coração de um babuíno. Faleceu três semanas depois, e este caso desencadeou problemas éticos que ainda hoje são discutidos.

1937. 27 Outubro

O físico e inventor norte--americano Chester Carlson apresenta a patente correspondente ao seu invento, o chamado processo Xerox, que permitiu a fabricação de copiadoras a seco por um processo electrostático traduzido em aplicações que vão desde cópias de escritório a reprodução de livros.

1925. 30 Outubro

John Baird, engenheiro escocês, consegue a primeira transmissão televisiva de um objecto em movimento. O seu sistema de 240 linhas de varrimento mecânico foi adoptado de modo experimental pela BBC até ser substituído pelo sistema de 405 linhas da Marconi.

CM RESPONDE: Radicais livres

O que são e como podem ser evitados?: Jorge Alves, Castelo Branco

Os radicais livres são moléculas libertadas pelo metabolismo do corpo com electrões altamente instáveis que podem causar doenças degenerativas de envelhecimento e morte celular. Em geral, os radicais livres combinam-se com outras moléculas e são aniquilados em milésimos de segundo. O problema é quando há um aumento da produção que não é absorvido pelo organismo. Para inibir a superprodução, o ser humano conta com a ajuda da enzima superóxido dismutase, produzida pelo organismo. Com o passar dos anos, o corpo diminui a produção dessa enzima e os radicais livres atacam as células.

MARTE UM POUCO MAIS ACESSÍVEL

Passados 50 anos sobre o início da conquista espacial, continuamos a utilizar a mesma tecnologia nos foguetes. Começa-se, a dar tímidos passos noutras direcções. É o caso do motor VASIMR, que promete reduzir  o tempo de uma viagem tripulada a Marte.
 
VASIMR
(Motor de Magnetoplasma de Impulso Específico Variável)
O sistema VASIMR é um sistema de propulsão a plasma composto por três células magnéticas. A “fonte de plasma” é constituída pela injecção de gás neutro (hidrogénio ou outros gases leves) para ser convertido em plasma. O “sobrealimentador de RF” utiliza ondas electromagnéticas como um amplificador para energizar ainda mais o plasma e alcançar a energia desejada. O “bocal magnético” converte finalmente a energia
do plasma num impulso útil.

PARTÍCULAS DE PRATA EM PAINÉIS SOLARES

As nanopartículas de prata podem desempenhar um novo e revolucionário papel na utilização da energia solar. Investigadores da Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, estão a experimentar polímeros semicondutores que incluem pequenos fragmentos de prata capazes de absorver a energia do Sol e gerar electricidade de um modo mais eficiente e económico do que nas tradicionais células solares ou painéis fotovoltaicos, o que equivale a um aumento de quase 12% na geração eléctrica.

Segundo explicam os especialistas, a adição de nanopartículas de prata permitirá que os polímeros semicondutores capturem uma ampla gama de comprimentos de onda da luz solar que, de outra maneira, não se aproveitam. Ao mesmo tempo, a introdução da prata aumenta a corrente de saída.

Para chegar aos resultados que permitem comprovar a efectividade das nanopartículas de prata, os cientistas mediram a quantidade de luz absorvida e a densidade de corrente, ou seja, a quantidade de corrente eléctrica gerada por centímetro quadrado, num polímero experimental de células solares com e sem nanopartículas.

BATERIAS NUCLEARES SUPERAM LÍTIO

O professor Jae Kwon, da Universidade de Missouri, nos EUA, está a desenvolver baterias nucleares, pequenos dispositivos que, segundo o pesquisador, serão menores, mais leves, seguros e mais eficientes do que as baterias de lítio.

O protótipo da bateria nuclear tem o tamanho de uma moeda. A inovação não está apenas na miniaturização desse pequeno gerador nuclear, mas também no seu semicondutor. A bateria nuclear portátil usa um semicondutor líquido, quando o normal das fontes nucleares é utilizar sólidos.

MECANISMO POUCO COMUM DE TERRAMOTO

Usando GPS e dados de radar de movimentos de solo, cientistas da Universidade de Pequim analisaram como o terramoto de 2008, responsável pela morte de mais de 80 mil pessoas, se propagou numa zona de falhas geológicas, paralelas, que se estendem por cerca de 3200 quilómetros.

Normalmente as barreiras impedem a propagação de um terramoto de um segmento a outro. Porém, o de 2008 foi tão poderoso que as barreiras colapsaram em dominó.

NOTAS

FLORESTA: DESTRUIÇÃO

O ritmo de destruição das florestas mundiais equivale actualmente a 36 campos de futebol por minuto, ou seja, 13 milhões de hectares por ano

FOCAS: BIGODE E ARQUIVO

Os bigodes das focas, como o cabelohumano, são feitos de queratina, mas na foca pode ser um arquivo de informação sobre os hábitos de busca de alimento

DROSÓFILAS: MEMÓRIA

Para compreender de que maneira o cérebro aprende, biólogos inscreveram lembranças, através de um raio de luz, nas células cerebrais de uma mosca da fruta

COLIBRI: OVOS LEVES

0,25 gramas pesa o mais pequeno ovode ave, que é o do colibri. Só 240, com menos de um centímetro, igualam o peso do ovo de uma galinha

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)