Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

A CULPA É DO ANANÁS

Carla não desiste e Ricardo M. não resiste. Depois de ambos terem garantido, anteontem à noite no confessionário, que entre os dois não se passou nada mais do que uma troca de beijos, a ex-líder da casa voltou a assediar o vendedor de automóveis que, mais uma vez, se rendeu às suas investidas, enchendo-a de beijos e carícias ‘hipnotizado’ com o cheiro a coco do seu perfume.
11 de Setembro de 2003 às 00:00
Carla
Carla FOTO: d.r.
Tal como aconteceu na semana passada, depois das expulsões, os dois foram até ao quarto da então líder, mas desta vez a iniciativa partiu do rapaz. Só que depressa se arrependeu para desespero da ‘coelhinha’ que, aborrecida com os constantes arrependimentos do rapaz, disse: “Tu é que sabes... se quiseres podes deixar-me sozinha”.
No início, ele ainda se deixou ficar quieto no seu canto da cama mas rapidamente tomou a decisão de fugir à tentação e ir dormir para a camarata não sem antes Carla o tentar convencer que ele não tinha satisfações a dar a ninguém.
No directo do ‘Big Brother’ de terça-feira, Teresa Guilherme bem tentou arrancar aos dois residentes uma confissão sobre a noite em que o Cupido desceu à casa da Venda do Pinheiro. Ricardo M. garantiu que se taparam com o edredão “para trocarem beijos no pescoço e mais nada” para acrescentar de seguida, visivelmente nervoso: “Sinto-me mal porque foi uma coisa que não controlei”.
Além disso, os grandes culpados daquela noite de amor foram, segundo eles, o ananás e o Martini, elevados agora à categoria de afrodisíacos.
Carla manteve a mesma versão dos acontecimentos e, quando a apresentadora lhe perguntou se tinha valido a pena, a jovem de Vila do Conde rematou a conversa com uma simples mas elucidativa frase: “Se não valesse a pena não me estava a rir”.
"É UMA ESTRATÉGIA DE JOGO"
Maria da Conceição, mãe de Carla, está a gostar da participação da filha e assegura que ela ainda vai surpreender muito os portugueses. Além disso, diz que entre Carla e Ricardo M. não existe paixão mas sim uma forte atracção. “Não tenho dúvidas nenhumas que o envolvimento dos dois é uma estratégia de jogo. Pelo que conheço da minha filha é apenas isso e mais nada”.
E explica: “O povo português gosta de romances dentro da casa e como líder ela podia escolher uma pessoa para partilhar o quarto e optou por aquele que mais simpatizou e o mais parecido com ela. Esta estratégia pode fazer com que fique mais tempo na casa, ou talvez não. Tudo depende do que acontecer durante esta semana”.
A mãe de Carla revela que a jovem tem “muitos amigos coloridos” mas, adianta que “não é namoradeira”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)