Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

Ameaça de greve

Cerca de dez mil funcionários da BBC vão decidir, através de votação, sobre a eventual realização de uma greve. Os trabalhadores da estação britânica discordam dos aumentos de 2,6% propostos pela empresa.
11 de Julho de 2006 às 00:00
Os sindicatos dos trabalhadores da BBC anunciaram que o nível salarial dos cargos de chefia e direcção é muito elevado relativamente à maioria dos funcionários. Com um aumento de apenas 2,6 %, o fosso entre as chefias e os trabalhadores torna-se cada vez maior.
Na sexta-feira, o relatório anual da empresa revelava que o director-geral da BBC, Mark Thompson, recebera, no último ano, cerca de 900 mil euros, o que revoltou os funcionários. Os sindicatos também se opõem ao plano de reformas e à redução de postos de trabalho. Mais de dois mil dos 23 500 empregados da empresa esperam perder os seus empregos até ao fim do próximo ano.
Em Maio de 2005, uma greve de 24 horas na BBC resultou na ruptura dos serviços de televisão, rádio e serviço ‘on-line’, impedindo a realização de reportagens e programas em directo. Segundo os sindicatos, aderiram à greve 55% dos trabalhadores, mas a empresa diz terem sido apenas 38%.
A decisão de fazer ou não greve será conhecida oportunamente, mas a BBC já fez saber que está muito “desapontada” com a decisão dos trabalhadores.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)