ANTÓNIO FRANCO NÃO GOSTA DE ARRISCAR. MAS FOI ATÉ AO FIM

“Não fiz nada de extraordinário. Apenas ganhei um concurso.” É com esta simplicidade que António Santos Franco, de 37 anos, resume a sua participação no popular concurso da RTP 1 ‘Quem Quer Ser Milionário’, onde arrebatou 250 mil euros (50 mil contos), valor máximo do prémio.
10.01.04
  • partilhe
  • 1
  • +
Desenhador na Câmara Municipal de Alenquer, pai de dois filhos, diz que “não há vencedor sem sorte” e confessa: “Nunca fui homem de arriscar, mas perante uma situação inesperada não podia hesitar.”
O premiado afirma levar “uma vida simples, linear, muito terra a terra”, tanto mais que vive “numa aldeia do interior com 400 habitantes, onde toda a gente se conhece.” Quando regressou a casa, foi recebido em apoteose.
A última pergunta que foi colocada a António Santos Franco no concurso e que lhe valeu a grossa maquia versava a identidade do desenhador do elevador de Santa Justa, em Lisboa. Foram momentos de tensão e de alguma hesitação, mas com a ajuda providencial do apresentador Jorge Gabriel, o concorrente acabou por escolher a alternativa certa: Mesnier du Ponsard, discípulo do célebre Eiffel. Apesar de tudo, António Franco sublinha que nada fez de extraordinário e justifica: “De louvar, isso sim, as pessoas que salvam vidas como os médicos e os bombeiros. Eu apenas tive sorte num jogo.” Homem dedicado à leitura e com grande capacidade de memorização, o feliz contemplado quer terminar as obras na casa, comprar um carro e dar um futuro melhor à família com o dinheiro que ganhou.
As anteriores edições de ‘Quem Quer Ser Milionário’, apresentadas sucessivamente por Carlos Cruz, Maria Elisa e Diogo Infante, tiveram, cada uma delas, um vencedor que conseguiu igualmente conquistar 50 mil contos, valor máximo do prémio.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!