Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

“As paisagens da Madeira são um trunfo para a minissérie”

Protagonista de ‘Dias Felizes’, uma produção da TVI com seis episódios maioritariamente passados no Funchal, Marco Delgado aponta ainda o “drama forte” e “a história de amor entusiasmante”.
30 de Abril de 2010 às 00:00
Marco Delgado
Marco Delgado FOTO: Mariline Alves

Marco Delgado gravou com Dalila Carmo a minissérie actualmente em exibição na TVI. Mas já se prepara para trabalhar com  outra “grande actriz”, Fernanda Serrano.

- Como foi a experiência de protagonizar a minissérie ‘Dias Felizes’, da TVI?

Gosto sempre de fazer personagens realistas, pessoas do nosso quotidiano, mais desafiantes e para as quais temos poucas coisas a que nos agarrar. Mas também gosto de fazer personagens de construção, como o Bráulio de ‘Tempo de Viver’ e o Simão de ‘Olhos nos Olhos’, na TVI.

- Quais são, na sua opinião, os trunfos desta terceira minissérie ‘Dias Felizes’?

Acho que são trunfos o facto de ser um drama forte e uma história de amor entusiasmante. As paisagens da Madeira também são um trunfo para a minissérie. A TVI criou três produtos diferentes das novelas [minisséries] e diferentes entre si. Acho que resultaram muito bem e têm vindo a fazer óptimas audiências.

- A aposta nas minisséries é, para si, uma aposta ganha?

É. A diversidade é importante e a TVI apostou nisso.

- Que tipo de personagem é o Miguel?

É uma personagem que está numa fase da vida de muita rotina, inclusive no casamento, aborrecido e já sem grande chama, a precisar de algo novo. E acontece o romance.

- Até acontecer o romance, o Miguel vai sendo seduzido, inclusivamente, por uma amiga da própria filha. Como se sente ele?

Sente-se mal. Ele, quando se apercebe, quer cortar de imediato qualquer possibilidade de relação.

- Concorda com a inclusão de actores estreantes ou pouco conhecidos nestes produtos de ficção?

Acho bem que entre gente nova nos formatos. Precisamos de gente nova e também de escolas de actores e de actrizes em televisão. A Plural já faz isso. Os jovens são, sem dúvida, o futuro e darão continuidade ao nosso trabalho.

- Aconselha os mais jovens?

Não gosto muito de dar conselhos e prefiro que as pessoas aprendam com a minha postura e forma de estar na televisão enquanto actor. Nas gravações, se as conversas surgirem, posso aconselhar.

- Como se sentiu nas cenas íntimas com a jovem Diana (Ruth Teixeira)?

Nas cenas mais ousadas, não era fácil para mim nem para ela, porque não nos conhecíamos enquanto actores. Eu confesso que também não estava muito à-vontade. Ela é uma actriz jovem, mas depois de falarmos e estudarmos as cenas nos ensaios, correu muito bem e as mesmas ficaram intensas.

- Quer falar do seu novo trabalho na TVI?

É com a Fernanda Serrano e estou ansioso por voltar a trabalhar com ela. A Fernanda é uma das nossas melhores actrizes. Estava afastada há muito dos ecrãs de televisão e todos temos saudades de a voltar a ver trabalhar.

- Quando começa a gravar?

É já em Junho que gravamos a nova novela do Rui Vilhena, por oito a dez longos meses.

- Agrada-lhe voltar a trabalhar com o Rui Vilhena depois de ‘Olhos nos Olhos’?

Agrada-me muito. O Rui Vilhena é, sem dúvida, dos melhores autores de ficção para televisão em Portugal. Consegue sempre criar personagens fortes e conflituosas.

- E, entretanto, está a gozar as suas férias anuais?

Estou de férias desde Dezembro, a fazer coisas na vida pessoal que não faço quando me falta o tempo. Já estive em Portugal e fora.

PERFIL: AS VÁRIAS NOVELAS

Marco Delgado tem 37 anos e formou-se no Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral e de Actores e em teatro no Instituto Franco-Português. Fez ‘Todo o Tempo do Mundo’ (1999), ‘Queridas Feras’ (2004), ‘Mundo Meu’ (2005), ‘Tempo de Viver’ (2006), ‘Ilha dos Amores’ (2007), ‘Fascínios’ (2008), ‘Olhos nos Olhos’ (2008) e ‘Ele é Ela’ (2009), TVI.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)