Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
7

Até sei limpar retretes

Gonçalo da Câmara Pereira, fadista, diz que vai para a Baracha para se divertir e não teme as tarefas rurais. Garante, até, que não entrará em confronto com Filipa Gonçalves por esta ser transexual.
19 de Março de 2005 às 00:00
Correio da Manhã – O que o levou a aceitar o desafio?
Gonçalo da Câmara Pereira – Só dou a resposta final às 15 horas de domingo. Tenho uns cargos políticos um pouco estranhos… Não sei se terei de suspender a minha actividade. Sábado tenho conselho nacional do PPM… Já me associaram tanto ao PPM…
– Vai defender a bandeira da monarquia?
– Sou monárquico. Vou tentar não falar em política, religião e futebol. Estou lá para me divertir. Quando isso deixar de acontecer abandono o programa.
– Uma vez que é engenheiro agrónomo, pode dizer-se que se vai sentir em casa?
– É verdade. Neste aspecto estou à vontade ainda que haja coisas que nunca fiz no campo. Não sou veterinário, espero que não me ponham nessas funções.
– Mas vai ter de fazer alguns partos?
– Não posso fazê-los, ainda que em minha casa os faça.
– Mas pode ajudar?
– O meu curso não dá para fazer partos.
– Recebeu o apoio da família e dos amigos?
– Tenho metade dos meus amigos divididos. E na minha própria casa, não comentam.
– Quantos filhos tem?
– Tenho três filhas e quatro netos. E a mesma mulher há 30 anos.
– Ela aceitou bem?
– Não se mete muito na minha carreira…
– Por que decidiu concorrer?
– Achei que era uma aventura e eu gosto de aventuras. O que é preciso é espontaneidade e ser desenrascado. Foi por graça que aceitei.
– O que vai levar na bagagem?
– Só levo uma navalhinha para o que der e vier… Com ela corto queijo e pão e até limo as unhas… E uns livros. Tenho uma livraria no Centro Comercial Via Venetto, é só passar por lá e reunir alguns títulos.
– Quem gostava de levar consigo?
– Quando estou em espectáculos levo só os meus músicos e chego a estar meses fora…Já estou habituado.
–Teme alguma tarefa?
– Não. Preocupa-me é saber como é que a gente se vai divertir.
– Uma das suas companheiras é Filipa Gonçalves.
– Não a conheço.
– Vai continuar a ter a mesma posição que assumiu num programa da SIC contra transexuais?
– O programa visava pôr as pessoas em confronto. Aquela posição odiosa era apenas um papel que assumi naquele contexto.
– Poria uma filha transexual fora de casa?
– Não. Se as pessoas assumem esse papel quem sou eu para atirar a primeira pedra? Quem eu critico é a sociedade que provoca essas situações. Acho que as pessoas deviam assumir a condição com que Deus as manda ao Mundo. Mudar isso é uma mutilação, provocada pela sociedade. Já viu que noventa por cento dos transexuais se suicida? É porque alguma coisa não está bem. Sou contra o transformismo em si.
– Que vai fazer com o cachet que receber?
– Estou lá para me divertir. Ganho à semana como todos os outros, mas não penso chegar a meio do concurso, muito menos à final… Não sei se aguento. Ando há um ano e tal a gravar um disco porque não consigo estar muito tempo fechado num estúdio. Se calhar entro em stress. Mas se ganhar o prémio final, ele reverterá na íntegra para a Associação Socorro e Amparo.
– E vai cuidar da casa?
– Sei fazer tudo. Até limpar retretes.
– Acha que a estada na Baracha pode prejudicar a sua carreira política?
– Já começou a prejudicar.
– Você e os seus irmãos ajudam muitas instituições de caridade?
– Hoje em dia, a maior parte dos espectáculos que fazemos são de caridade.
CASTELO BRANCO JUNTA ROBERTA CLOSE E FILIPA GONÇALVES
José Castelo Branco, o grande vencedor da primeira ‘Quinta das Celebridades’, vai ter esta noite duas convidadas especiais no seu programa da TVI: as transexuais Roberta Close e Filipa Gonçalves.
A estação de Queluz de Baixo continua a apostar forte no sucesso de ‘Bon Chic’ e, na véspera do arranque da segunda edição da ‘Quinta das Celebridades’, decidiu convidar uma das mais populares concorrentes do ‘rurality show’ – Filipa Gonçalves –, com uma das transexuais mais famosas do Mundo e cujo nome também foi apontado como uma potencial fazendeira, Roberta.
O Correio da Manhã apurou que no programa – que foi gravado ontem à noite – as duas falam da sua vida e da operação de mudança de sexo.
Refira-se que a família de Filipa Gonçalves chegou a recorrer à experiência de Roberta Close, quando se viu perante a falta de informação sobre o problema da filha e a operação de mudança de sexo. A transexual brasileira foi mesmo uma grande ajuda e hoje é uma das referências da modelo portuguesa.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)