Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Bárbara Guimarães ganha nova avó

Bárbara Guimarães ganhou uma ‘nova’ avó. Georgina Borges, 85 anos, açoriana de São Miguel, forma juntamente com a neta, Carlota, uma das cem famílias que ontem em Lisboa concorreram a um lugar no ‘Família Superstar’, programa apresentado pela ‘Estrela SIC’ e que estreará em Setembro.
1 de Agosto de 2007 às 00:00
Bárbara Guimarães e a candidata mais velha, Georgina Borges
Bárbara Guimarães e a candidata mais velha, Georgina Borges FOTO: Natália Ferraz
Georgina Borges é a candidata mais velha de ‘Família Superstar’ e esteve pela segunda vez no continente para, com a neta Carlota, tentar um lugar entre as 30 famílias que participarão no concurso apresentado por Bárbara Guimarães, a sua mais recente neta. Na primeira selecção, realizada no Porto e que reuniu 2500 famílias candidatas, “a Bárbara pediu-me para ser avó dela e eu aceitei”, conta ao CM a bem conservada senhora. Quanto às cantorias, Georgina afiança: “Já ensaiámos o ‘Vocês sabem lá’ e correu muito bem.”
Para Bárbara Guimarães este é o regresso à música depois de ‘Chuva de Estrelas’, também na SIC. A apresentadora, que ao lado das cem famílias cantou o refrão de ‘Vocês sabem lá’, mostrou-se bastante entusiasmada. “Temos vivido momentos de cumplicidade que não vamos esquecer. Às sete da manhã já estavam as cem famílias a ensaiar a mesma música. Parecia o ‘Fame’”, conta a apresentadora do formato.
O arranque do programa ainda não está definido. Para já, a única coisa que se sabe é que arrancará em Setembro, como nos refere o subdirector de Produção e Entretenimento da SIC, Pedro Costa. O júri do concurso será composto por Clara de Sousa, Tozé Brito, Anjos e pelos irmãos Nuno e Henrique Feist.
RECEITAS CRESCEM 13,1%
As receitas da SIC cresceram 13,1% no primeiro semestre face ao período homólogo de 2006, chegando aos 91,4 milhões de euros, anunciou ontem a Impresa, grupo que detém a estação de TV. O aumento de receitas foi fortemente influenciado pelo desempenho da área de multimédia, que mais do que triplicou o volume de negócio, 203%, para 8,2 milhões de euros, e produtos associados, 170%, para 4,1 milhões de euros. Na subscrição dos canais temáticos, a SIC recuperou 6,5%, para 16 milhões de euros, e em matéria publicitária as receitas mantiveram-se inalteradas face aos primeiros seis meses do ano passado, fruto do impacto da exibição do Mundial de Futebol – Portugal atingiu o quarto lugar – fixando-se nos 59,1 milhões de euros. No total do grupo, que detém também o jornal ‘Expresso’ e a revista ‘Visão’, o lucro cresceu 23,6%, para 8,7 milhões de euros.
Ver comentários