Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

CAMILO BOM FILHO REGRESSA A CASA

Devido ao enorme sucesso que as reposições das séries de humor protagonizadas por Camilo de Oliveira têm tido na SIC, levando os programas à liderança das audiências, o canal de Carnaxide firmou ontem mais um contrato de um ano com o actor, que regressa assim à sua casa depois de um ano de ausência. Sem querer revelar pormenores desse contrato, Camilo diz apenas que "tem números simpáticos", ao que Balsemão acrescenta: "O bom filho regressa".
23 de Dezembro de 2003 às 00:00
Mais um ano de contrato entre a SIC e Camilo de Oliveira
Mais um ano de contrato entre a SIC e Camilo de Oliveira FOTO: Manuel Moreira
"Sinto-me muito feliz e lisonjeado com o convite. É o melhor presente de Natal que podia ter tido. De dinheiro não gosto de falar, até porque fico constrangido", afirma Camilo de Oliveira, sublinhando que sente o peso da responsabilidade por ir fazer mais uma série humorística de 26 episódios, muito mais do que aquilo que a estação lhe paga. "Para mim, o dinheiro não tem muita importância."
Num ano em que a SIC aumentou o seu investimento publicitário e os níveis de audiências, a aposta do canal de Balsemão para 2004 continua a ser a ficção portuguesa e, por isso, a nova série de Camilo, adaptada de um original estrangeiro, começa a ser preparada já em Janeiro. O nome e o restante elenco ainda não foram revelados, mas a produção fica a cargo de Jorge Marecos, da SP Filmes, à semelhança das outras séries de Camilo de Oliveira.
Durante o ano em que não gravou para a SIC, Camilo de Oliveira fez espectáculos de teatro e recebeu diversas propostas para ir trabalhar para a concorrência. Mas, segundo frisa, "há condições e condições". "Não se tratou de dinheiro - é claro que foram propostas muito boas -, mas sim de tempo. Demoraram demasiado tempo a decidir e estas coisas têm de ser rápidas. Falou-se muito e fez-se pouco", refere, acrescentando que o canal de Carnaxide merece "muita consideração, porque foi aqui que comecei, muito embora seja pioneiro da RTP".
Quanto ao seu badalado casamento com Paula Marcelo (que conhece há 20 anos e com quem vive maritalmente há 13), que estava marcado para o próximo dia 6 de Janeiro, Camilo de Oliveira revela que foi adiado. "Primeiro, porque causa das burocracias. Depois, porque o telefone não pára com propostas para exclusivos para revistas a oferecerem-me a lua-de-mel que, chateado, resolvi desmarcar. Agora, vou casar-me e não vou dizer nem quando nem onde", diz.
BALSEMÃO SATISFEITO
Francisco Pinto Balsemão só tem razões para sorrir. No balanço de 2003 ("um ano difícil devido à situação económica e às suas consequências"), a SIC subiu 6/7 por cento no que respeita ao investimento publicitário. "Foi um ano que, apesar dessas dificuldades, acho que conseguimos recuperar a rentabilidade. Ainda não estamos no ponto que eu desejaria e que as boas práticas de gestão exigem, mas invertemos a marcha", considera o patrão do canal.
Quanto às audiências, Balsemão também não se pode queixar. A SIC fecha o ano com cerca de 31,7% de 'share', mais 1,7% que o segundo lugar, que é ocupado pela TVI. "Para mim, isso não é objectivo único, mas é sempre importante porque é onde testamos as preferências do público", diz este responsável, adiantando que estão a fazê-lo "com muita simplicidade, sem arrogâncias, sem pretensões de sermos os melhores".
Relativamente a Camilo de Oliveira, Balsemão reforçou a qualidade profissional do actor, sublinhando que "contratações destas demonstram o nosso interesse em ir buscar produção nacional". "O importante é também dar uma nota de humor e alegria a um País que se diz que anda deprimido. Nós (SIC) não estamos deprimidos", afirma.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)