Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
5

‘Caso das Escutas’: ‘Público’ abre inquérito interno

A direcção editorial do jornal ‘Público’ condenou esta sexta-feira a acusação de que o artigo ‘Presidência suspeita estar a ser vigiada pelo Governo’ seja uma "encomenda", tal como esta sexta-feira deu conta o ‘Diário de Notícias’.
18 de Setembro de 2009 às 19:24
‘Caso das Escutas’: ‘Público’ abre inquérito interno
‘Caso das Escutas’: ‘Público’ abre inquérito interno FOTO: DR

Em comunicado, informa-se ainda que foi aberto um inquérito interno para tentar perceber “como pode ter sido desviado um documento que apenas circulara por e-mail, no interior do domínio do ‘Público’ e entre um grupo muito pequeno de pessoas”. Isto porque tanto o ‘DN’ como o ‘Expresso’ contactaram o ‘Público’ na quinta-feira para recolherem informações sobre o conteúdo de um e-mail “que teria sido trocado entre um editor e um jornalista há 17 meses”.

Em função do resultado, o jornal diz que decidirá os procedimentos judiciais a adoptar.

“O 'Público' tem fontes, mas não são estas que ditam o que sai e quando sai no jornal. Neste caso concreto, o 'Público' só publicou a notícia quando, após contacto com as suas fontes, um membro da Casa Civil do Presidente assumiu, nessa condição, a informação”, diz o comunicado.

“Essa ausência de promiscuidade na relação com as fontes também implica a protecção da sua identidade, pelo que não podemos deixar de condenar a publicação de um trabalho jornalístico sem qualquer dado novo para além da revelação sensacionalista de uma pretensa fonte do Público”, escreve ainda a direcção editorial num texto distribuído por 12 pontos.

CONSELHO DE REDACÇÃO FALA DE ‘ATROPELO DE ÉTICA’

Já o conselho de redacção do jornal também avançou com uma nota em que repudia “a forma como foram postos em causa a credibilidade e profissionalismo da redacção do Público” no artigo do ‘DN’. Fala-se ainda de “um caso de atropelo da ética e deontolgia jornalísticas”. Os membros do conselho de redacção revelam ainda estar solidários com os colegas visados pelo ‘DN’ e manifestam confiança.

Ver comentários