Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
4

Catarina Furtado prefere Mário Soares a Sócrates

Catarina Furtado não trocava Mário Soares por José Sócrates. Mas, apesar da confissão, dificilmente a apresentadora conseguirá ter o antigo Presidente da República a participar na terceira temporada de ‘Dança Comigo’, que arranca sábado, em Elvas.
29 de Março de 2007 às 00:00
A apresentadora também gostava de ter futebolistas no programa
A apresentadora também gostava de ter futebolistas no programa FOTO: Duarte Roriz
A estrela do programa da RTP 1 disse ontem, na apresentação à imprensa, que a simplicidade do formato está na base do seu sucesso. Mas o êxito de ‘Dança Comigo’ pode ter outra dimensão se, por exemplo, se registar a adesão de políticos. “Gostava de ter mais políticos” no programa, “gostava de ver a desconstrução” dos políticos em palco, diz Catarina Furtado. E interpelada pelo CM se o político que elegeria para participar no formato seria José Sócrates, a apresentadora foi peremptória: “Gostava mais de ter Mário Soares.” Para tudo ou para quase tudo há uma explicação. Basta uma simples pausa para reflexão. Catarina fez a pausa e acrescentou: “Eu já dancei com Mário Soares... na emissão de inauguração da SIC. Foi uma valsa.”
Mas, para lá dos políticos, a vedeta da televisão pública não esconde que outro tipo de portugueses desejava ter no seu programa. Engenheiros que fazem estudos sobre a Ota ou gestores da Universidade Independente? Nem uns nem outros. “Gostava de ver futebolistas no ‘Dança Comigo’.”
No arranque da terceira temporada, depois de amanhã, a seguir ao programa ‘Voz do Cidadão’ e a partir do Coliseu de Elvas – onde, a 28 de Abril, actuará o bailarino Joaquín Cortez –, Catarina Furtado apresentará os ‘dançarinos’ Isabel Figueira, Valentina Torres, José Fidalgo e Pedro Guedes, os quais se submeterão às apreciações de São José Lapa, João Baião e Marco de Camillis, os jurados-residentes. No primeiro de uma série de 14 emissões, cujas meias-finais – também por ‘cunha’ de Catarina Furtado – poderão realizar-se fora de portas, Artur Agostinho é o convidado para integrar o júri.
Construído há seis meses, no local onde funcionava uma praça de toiros, o Coliseu de Elvas acolherá, sábado, três mil pessoas, embora o espaço – entre Madrid e Lisboa não há outro igual – possa albergar 6500. Mas o palco, elevado, e as estruturas cenográficas acabam por roubar espaço para assistentes. Ganha o espectáculo televisivo, fruto, também, de uma maior luminosidade introduzida pela produtora, a Endemol.
À semelhança da anterior edição, o ‘Dança Comigo’ terá uma sessão com anónimos. O programa, em moldes ainda a definir, elegerá o par que representará Portugal, em Setembro, em Londres, num Festival Europeu de dança que congregará 15 países.
Ver comentários
}