Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

CDS-PP APRESENTA REQUERIMENTO E TVI REAGE DE IMEDIATO

As novas apostas televisivas das operadoras podem conter aspectos que violam os princípios da Constituição.
25 de Janeiro de 2003 às 00:05
Por isso, o CDS-PP entregou ontem um requerimento na Assembleia da República para que a Comissão de Assuntos Constitucionais, Liberdades e Garantias analise o ‘estado’ da programação televisiva e oiça os presidente do Conselho Superior de Magistratura e da Alta Autoridade para Comunicação Social, além dos operadores televisivos.

No documento a que o CM teve acesso, os democratas-cristãos questionam os conteúdos televisivos de programas como “Bombástico” ou “Eu Confesso” que “chocam com valores fundamentais (...) com manifesto prejuízo para a boa e correcta aplicação e administração da Justiça”. Nesse sentido, o líder da bancada parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, considera que o Parlamento “não se pode alhear” da transmissão de programas “atentatórios de direitos” consagrados na Lei Fundamental.

A TVI reagiu de imediato com um comunicado, lido durante o “Jornal Nacional”, e declarações de Júlia Pinheiro, apresentadora de “Eu Confesso”, que estreia esta noite.

Segundo o comunicado, que passamos a citar: “Sob a capa de um pseudomoralismo, o deputado Telmo Correia, em nome do grupo parlamentar do Partido Popular deu hoje (ontem) uma conferência de imprensa a que a TVI acaba de fazer referência. As suas opiniões não divergem muito de outras oriundas da área do Governo e ouvidas nos últimos dias com uma finalidade que, sinceramente, não se percebe. A TVI é uma estação responsável e os seus profissionais dignos e idóneos, não abdicam pois da sua autonomia de pensamento e das regras de conduta que orientam a sua actividade na observação dos limites ético-legais a que estão sujeitos. As intervenções (...) ou são absurdas ou, no mínimo, permitem pensar que há gente na classe política portuguesa que gostaria de exercer um controlo apertado sobre a comunicação social talvez com saudades de outros tempos”.

A TVI questiona a discussão de “programas que ainda nem começaram a ser exibidos” e garante que não suspende o programa ‘Eu Confesso’. “Obviamente a TVI não se afastará um milímetro daquela que tem sido a sua orientação isenta, rigorosa e responsável com que tem exercido a sua actividade (...) não colaborará em nenhuma campanha que vise desacreditar as operadoras privadas de televisão em benefício sabe-se lá de quê”.

Júlia Pinheiro considera “largamente excessiva” a preocupação do Governo e defende que “Eu Confesso” será “um programa de referência”. E disse surpresa “pelo facto de um programa que ainda não estreou ter criado tanta celeuma e polémica”. “Quero deixar toda a gente tranquila, porque o ‘Eu Confesso’ é um programa sobre violência e crime, mas cujo enfoque é absolutamente humano, o tom é de sobriedade, serenidade”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)