Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

'CHAMARAM-ME PORQUE CONFIAM NO MEU TRABALHO'

A nova administração da RTP convidou-a para dar a cara pelo “Domingo Desportivo”, que arranca amanhã com novo formato.
4 de Outubro de 2002 às 23:46
Correio da Manhã - De quem partiu o convite para apresentar o “Domingo Desportivo”?
Cecília Carmo - Quando esta direcção tomou posse, apostou no meu regresso, chamaram-me porque confiam no meu trabalho. E cá estou eu para fazer o meu melhor num outro formato. Vai mudar um pouco de tudo desde a imagem, aos resumos dos jogos, reportagem e até a análise se vai reduzir ao circunstancial. O tempo de duração também diminui e a forma de apresentação será mais dinâmica e vai dividir-se em dois períodos distintos: o da tarde e o da noite! Só não muda o genérico e o grafismo...

- O que vai ser o “Domingo Desportivo” agora?
- Um regresso ao estúdio onde a frase--chave do treinador a seguir ao jogo será privilegiada em duas edições distintas: a das 19h00 que mostra as pessoas e os jogos que se realizaram até à altura e a das 23h00 onde se mostra a restante informação dos jogos da noite. Na primeira edição pretende-se mostrar essencialmente os golos e as reacções dos treinadores. À noite relembramos o que aconteceu e mostramos o que falta. No fundo, o “Domingo Desportivo” vai dar a informação mais a quente, mais na hora, mostrar o que se passa logo a seguir aos jogos com reportagens directas e gravadas.

- O Carlos Daniel sai? O Gabriel Alves fica como comentador?
- O primeiro sai e o Gabriel como comentador da RTP poderá eventualmente fazer um comentário ou outro se se justificar. Contudo, neste novo formato não há comentador fixo!

- O futebol é um produto demasiado caro?
- Claro que sim! Mas não só em termos de televisões, rádios ou jornais... é caro devido à máquina por trás que envolve milhões. No fundo, se se pagam fortunas aos jogadores, os custos são elevados e as transferências milionárias, acaba por arrastar custos insuportáveis quer para as transmissões quer para os preços dos bilhetes.
- A RTP vai investir nas chamadas modalidades pobres?
- Não são pobres... não têm é tanta expressão como o futebol, por exemplo. Até agora tiveram o seu espaço e continuarão a tê-lo... Vamos continuar a transmitir jogos do campeonato nacional de hóquei em patins, basquetebol, voleibol, râguebi, futsal, com transmissões directas, resumos alargados ou dando a notícia da prova.

- O que vai acontecer ao programa que apresentava na RTP-Internacional?
- Vai continuar com alguns ajustes...

- Como é que foi trabalhar para portugueses que estão além fronteiras?
- Foi das coisas mais gratificantes da minha vida profissional. Pela primeira vez trabalhei em contacto directo com os telespectadores. As pessoas são muito carinhosas e participativas. É uma experiência única...

- É bom retomar as rédeas de um espaço forte como este programa?
- Claro que é... a apresentação é mais uma das minhas tarefas na RTP. O facto de me chamarem para apresentar o programa é um reconhecimento do meu trabalho. É também porque me acham capaz de corresponder às expectativas do que se pretende.
Ver comentários