Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

DESPIQUES VÃO COMEÇAR MAIS CEDO

Para fugir à rotina, os organizadores prometem novidades. O novo grupo de aspirantes a vedetas terá à sua espera uma prova mais competitiva, que não dará lugar a estratégias de autopromoção.
23 de Agosto de 2003 às 17:09
Teresa Guilherme promete manter o tom irreverente e bem disposto
Teresa Guilherme promete manter o tom irreverente e bem disposto FOTO: d.r.
Desta vez, os despiques entre os concorrentes no ‘Big Brother’ deverão começar mais cedo. Segundo Teresa Guilherme, nas edições anteriores, “durante os primeiros meses, havia uma certa cumplicidade, mas agora as pessoas vão revelar a sua personalidade mais cedo.” Esta é uma das tão faladas novidades da nova edição do ‘Big Brother’, que estreia no próximo dia 31 na TVI. A apresentadora afirmou ao Correio TV, que a 4.ª edição do ‘reality show’ “será mais competitiva, não sendo por isso mais dura.”
A TVI está apostada em mostrar um programa renovado e ainda mais ousado, contando com a participação da produtora Endemol. A decoração da casa da Venda do Pinheiro é outra das novidades. As cores quentes, como o vermelho, o laranja e o amarelo, imperam na pintura do espaço exterior, onde se encontram o jardim e a piscina. O mobiliário, que desta feita foi encomendado à empresa sueca Ikea, terá, certamente, um ‘design’ moderno e arrojado.
Fica ainda a promessa de introdução de novidades no formato, sejam elas importadas de outras versões do ‘reality show’ ou até inéditas. Desde a divisão da habitação em duas áreas, com diferentes graus de conforto, até à escolha de um líder dos residentes, passando pela existência do ‘anjo da guarda’, figura que salva o concorrente mais votado para sair, muitos são os elementos inovadores nas edições estrangeiras que poderão surgir no ‘BB4’. O segredo, no entanto, é absoluto.
Os concorrentes desta edição, cujo número não foi ainda revelado, e os seus suplentes, já foram escolhidos, de entre cerca de 150 mil inscritos. Antes de chegarem à fase final, os candidatos submeteram-se a rigorosos exames físicos e psicológicos e ainda a interrogatórios exaustivos, para avaliar as suas reacções sob pressão. A apresentadora recorda que se trata de uma “superstição” crer que ela tem influência na escolha dos concorrentes ou que tem algum contacto prévio com eles. “Só os conheço no dia em que o programa começa”, afirma.
Apesar do conflito que surgiu entre Axel e Teresa Guilherme em ‘BB Famosos’, a apresentadora garante que não vai por isso mudar a sua abordagem perante os residentes. Uma vez que o programa irá estrear num domingo, os espectadores não terão de aguardar muito para assistir às habituais intervenções provocantes da apresentadora.
GLÓRIAS POUCO GLORIOSAS
O sucesso estrondoso de ‘Big Brother’ junto do público criou nos concorrentes a expectativa de alcançar fama e fortuna. Para além do prémio monetário atribuído ao vencedor, a participação neste ‘reality show’ tornou-se aliciante por, aparentemente, transformar a vida dos participantes, que passaram a figurar nas capa das revistas, chegando alguns a apresentar programas de televisão. No entanto, a glória tem sido sempre efémera.
Zé Maria, vencedor da primeira edição de ‘Big Brother’, parecia ter o mundo a seus pés quando abandonou a casa da Venda do Pinheiro. O ex-servente de pedreiro, oriundo de Barracos, surgia constantemente em revistas, choviam os convites para usar a sua imagem em campanhas publicitárias e teve direito a um programa na TVI, ‘Mulheres de A a Zé’. Actualmente, quando o nome de Zé Maria surge em alguma publicação vem associado a escândalos ou rumores. Já se falou em negócios falhados e na ruína financeira e, actualmente, abundam os boatos sobre a sua alegada homossexualidade.
Henrique, o ‘Icas’, vencedor do ‘Big Brother 2’, também conheceu uma fase de popularidade. Hoje, concluído o curso de História, é professor estagiário e aguarda colocação numa escola. Como Zé Maria, também Henrique foi alvo de rumores sobre homossexualidade.
A vencedora da terceira edição de ‘BB’, Catarina Cabral será, porventura, a que mais lucrou com a participação no concurso. Apaixonada pela música, ela desejava fazer carreira. A participação em ‘Academia de Famosos’ (TVI) foi mais um passo nessa direcção. Catarina Cabral gravou recentemente o primeiro trabalho discográfico, mas ainda aguarda o seu lançamento.
PROCURAM-SE ‘GAYS’
Os produtores de ‘reality shows’ procuram incessantemente novos formatos para aguçar a curiosidade do público. Quando as regras do jogo ditam que apenas são aceites intérpretes de música ‘country’ que sejam ‘gays’, temos que constatar estar na presença de um formato completamente original. A ideia para este concurso, que por enquanto não tem nome, nem está atribuído a qualquer emissora, é o produtor e letrista nova-iorquino Larry Dvoskin.
O projecto nasceu quando o autor participou num debate radiofónico cujo tema era a possibilidade de um ‘gay’ poder vencer no mundo da música ‘country’. No dia seguinte, Dvorskin, homossexual assumido, colocou um anúncio na publicação ‘Nashville Scene’, procurando um intérprete de ‘country’ jovem, bem parecido e ‘gay’… As respostas foram tantas que o produtor musical decidiu transformar a sua experiência num ‘reality show’.
QUEM QUER SER GOVERNADOR?
Aproveitando o facto do actor Arnold Schwarzenegger ser um dos candidatos ao cargo de governador da Califórnia, o canal Game Show Network decidiu transformar a eleição num espectáculo e lançou o concurso ‘Who Wants to Be Governor of California? The Debating Game’ (Quem Quer Ser Governador da Califórnia? O Jogo de Debate). Os cinco concorrentes habilitam-se a um prémio de cerca de 18 mil euros. A final terá a forma de um debate, no qual, para além de se debruçarem sobre questões políticas, os participantes terão de responder a questões sobre temas variados.
Ver comentários