Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
8

"Espero que não haja baratas", diz Ljubomir no regresso de 'Pesadelo na Cozinha'

Palmira Barata recebeu o chef no seu restaurante Ribamarisco, na Ericeira.
10 de Setembro de 2018 às 17:11
Equipa do restaurante Ribasmarisco
O chef Ljubomir Stanisic
Equipa do restaurante Ribasmarisco
Equipa do restaurante Ribasmarisco
O chef Ljubomir Stanisic
Equipa do restaurante Ribasmarisco
Equipa do restaurante Ribasmarisco
O chef Ljubomir Stanisic
Equipa do restaurante Ribasmarisco
"Espero que aqui não haja dessas (baratas)" foram as primeiras palavras de Ljubomir Stanisic quando entrou na cozinha do restaurante Ribamariscos e conheceu a cozinheira e co-proprietária do restaurante, Palmira Barata.

A afirmação vem no seguimento das duas baratas que a cozinheira tem tatuadas no braço em homenagem ao nome que partilha com o seu marido José.

De facto não haviam baratas, mas a falta de organização era notável entre a sala de refeições e a cozinha. O primeiro episódio da segunda série de 'Pesadelo na Cozinha', que estreou este domingo na TVI, ficou marcado pela intervenção do chefe de cozinha no espaço e equipa do restaurante Ribasmarisco, na Ericeira, onde tudo era 'sui generis'. 

O 'patrão' e cozinheiro José Barata pouco ou nada mandava no estabelecimento e nos empregados. A partilhar a vida e a cozinha com a mulher Palmira Barata, o casal oferecia um menu em concordância com o seu restaurante: confuso, tal como a "cataplana" ou a receita das vieiras gratinadas, que era afinal servido sem vieiras.

Já na sala, o chefe Ljubomir encontrou três empregados, cada um rico em características à filme americano. O simpático Benjamim, cujas palavras para a câmara foram 70% em 'inglês'; Joaquim, o empregado mandão e 'pouco humilde' e Carla, a empregada que, na opinião do chefe, nunca gostou dele, levando-o a um 'desmaio' ensaiado no chão da cozinha.

Sobre as instalações: um autêntico caos. O chefe abriu um dos congeladores e deparou-se com um pão, um peixe e um gelado, todos lado a lado. Os outros recipientes guardavam produtos sem qualquer etiqueta ou data de validade, fora aqueles que estavam podres ou com um cheiro desagradável.

E nem a arrecadação escapou: batatas no chão e folhas de louro encostadas a um aquecedor, levaram ao desespero dos empregados entre pequenos ataques de nervos de Ljubomir.

No segundo dia os empregados chegaram e tiveram de limpar o armazém até à hora de almoço, momento em que teriam de regressar ao restaurante para servir as refeições.

Claro que a medida do chefe foi alvo das criticas de Carla, os suspiros de Joaquim e o espanto de Benjamin. Já Palmira e José estiveram com o chefe na cozinha, a fazer algumas alterações na ementa e a discutir preços dos pratos que, na visão do cozinheiro, estão muito abaixo do considerado razoável e que podem constituir o principal problema para o fracasso do negócio, aliado à desorganização.

No fim, tudo acabou bem. Para além das sugestões do chef, uma ementa mais 'light' e a remodelação do espaço interior e da esplanada, Ljubomir deixou palavras de força a todos depois da inauguração do 'novo' espaço, sem esquecer os conselhos e os ensinamentos do chefe que não tem 'papas na língua'.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)