Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

“Esses não são de confiança”

Joaquim Oliveira e Vara confrontam versões sobre contrato de Moniz.
11 de Julho de 2010 às 00:30
Vara e Oliveira não conferiam credibilidade à Ongoing
Vara e Oliveira não conferiam credibilidade à Ongoing FOTO: Tiago Sousa Dias

Os milhões do contrato de Moniz para sair da TVI para Ongoing dominam as conversas entre os protagonistas do caso PT-TVI a meio de Agosto. Isto, a par da reiterada desconfiança da dupla Joaquim Oliveira/Armando Vara em relação à empresa Ongoing e aos seus principais rostos, Nuno Vasconcelos e Rafael Mora.

Depois de Joaquim Oliveira já ter afirmado, em conversas anteriores, que os administradores da Ongoing 'não têm escrúpulos nenhuns', surge agora, numa conversa a 8 de Agosto, Armando Vara a dizer: 'Esses gajos não são de confiança.' Nas três conversas que hoje publicamos – Paulo Penedos com Rui Pedro Soares e Armando Vara com Joaquim Oliveira – perpassam as várias versões sobre os valores da rescisão de José Eduardo Moniz com a Media Capital e do contrato que viria a celebrar para ingressar na Ongoing. A situação de Manuela Moura Guedes na TVI após a saída do marido, José Eduardo Moniz, é também comentada por Oliveira e Vara. Os dois avaliam as condições em que Manuela Moura Guedes fica na TVI e admitem que para 'lhe chegar é preciso trucidar tudo e todos'.

Por fim, Armando Vara, na altura vice-presidente do BCP, comenta a situação financeira de Pinto Balsemão, dono da Impresa, detentora da SIC, do ‘Expresso’ e e de outros órgãos de comunicação social, dizendo que 'está à beira do abismo' e que 'está completamente teso', uma alusão que poderia comprometer a sua obrigação de preservar o segredo bancário.

'CM' DIVULGA NA ÍNTEGRA DOCUMENTO DA PJ DE AVEIRO ENVIADO PARA O PARLAMENTO

Dia 6 de Agosto, 20h59

Rui Pedro Soares (RPS) e Paulo Penedos (PP)

O RPS diz que Moniz é um aldrabão, eles sabem perfeitamente que ele tinha uma cláusula de rescisão de um milhão e duzentos, era o que os espanhóis pagavam, se o quisessem pôr na rua. O RPS diz que foi rescisão amigável, portanto de certeza que foi menos, toda a gente sabia que ele queria sair, ele é que pôs a veicular a história dos 6 milhões. PP pergunta qual o interesse dele, e o RPS diz que foi para se fazer importante e para fazer crer que se vendeu, mas por muito dinheiro.

Dia 8 de Agosto, 20h34

Armando Vara e Joaquim Oliveira

Joaquim Oliveira diz que ontem esteve com o Rafael Mora e este lhe disse que ele (Moniz) não recebeu nada os seis milhões, que recebe um milhão ou um milhão e tal que lhe paga a Prisa daqui a um ano. Armando duvida, perguntando se o gajo se vem assim embora sem mais nem menos. Joaquim Oliveira diz que também achou estranho mas ele diz que sim, que há qualquer coisa que não bate certo. Armando responde que esses gajos (Ongoing?) não são de confiança. Joaquim Oliveira diz que sabia que ele (Moniz) tinha um contrato, porque ele próprio lhe contou. Um contrato em que ele tinha que ser efectivamente indemnizado em três ou quatro milhões e que o Rafael dizia que os espanhóis lhe garantiram que lhe pagavam só um milhão, menos de um milhão e picos daqui a um ano, e hoje, no ‘Expresso’ vem a dizer que eles só pagam 500 mil. Armando diz que isso é contra-informação, o baralhar e dar de novo para ninguém perceber muito bem o que é. Joaquim Oliveira diz que sabe que o Balsemão está pior que urso, segundo eles contam... Armando diz que o Balsemão está completamente teso e que precisa mesmo, até ao final do ano, de um aumento de capital de cem milhões.

Falam depois de aumentos de cotação da Impresa e das razões que levam a essa subida. Joaquim Oliveira diz que não acredita que o Balsemão esteja à beira do abismo até porque o Nuno (Vasconcelos?) lhe disse que lhe ofereceu um aumento de capital de 70 milhões, integralmente subscrito por eles e ainda lhe emprestava 20, notícia que vem no ‘Expresso’. Armando diz que o que eles queriam era passar o Nuno a chairman e ficarem eles a mandar. Continua o Armando dizendo que o que interessa é que não falem do que não devem. Joaquim Oliveira diz que foi isso que lhe impôs, que não quer ver nenhuma referência directa ou conexa com a sua pessoa e ele próprio se encarregará de desmentir, dizendo que já está tão habituado a que falem dele que são mais uns papagaios que andam aí no mercado. Joaquim Oliveira fala ainda da situação política do PSD, dizendo que aqueles tiros todos fazem mossa, e num aparte pergunta se o 'Chefe' perdeu ou lhe roubaram as malas em Espanha.

Dia 10 de Agosto, 20h48

Armando Vara e Joaquim Oliveira

Joaquim Oliveira diz ao Armando Vara que compre o ‘JN’ amanhã, que o 'Chefe' quer fazer um artigo no ‘JN’. Vai fazer uma página inteira, escrito por ele (a chamada cai).

20h49

Armando Vara e Joaquim Oliveira

Joaquim Oliveira continua a conversa dizendo que ele (Sócrates) faz um artigo amanhã no ‘JN’. Vara diz que hoje esteve a ver aquela coisa do amigo dele e que ele fala pelos cotovelos. Joaquim Oliveira pergunta se o amigo é o da Ongoing. Vara confirma e opina que aquilo vai acabar mal. Joaquim Oliveira diz que aquilo ainda não é nada, comparando com o que ele diz em off, que diz que não pagou nada ao outro (Moniz) para sair e que lhe paga 750 mil, por ano, líquidos. Vara diz que no bruto deve meter casa, carro, avião... reforma e três milhões. Brutos deve dar três milhões.

Continuam a conversa sobre despesas e pessoas que o Moniz levava. Armando diz que vai dar tudo chatice e no fim quem vai sair mal no meio de tudo isto é o Moniz, que aquilo é uma tropa.... Joaquim Oliveira diz que esteve com o Juca Magalhães e este lhe disse que a senhora (Manuela Moura Guedes?) vai ficar lá devidamente espaldada e que ninguém lhe toca, ninguém lhe chega, que para chegarem ali iam ter de trucidar tudo e todos e ele lhe disse que se calhar começa daqui a 15 dias, trucidam aquilo tudo. Armando diz que se não for daqui a 15 é daqui a 45. Joaquim Oliveira concorda e diz que ele (?) também não pode com ela, que ela é execrável. Armando pergunta em quem é que ela está espaldada e se se demitem todos. Joaquim Oliveira responde que está espaldada numa trupe que domina a informação e estão à volta dela e num tal Prates, e que o Mário Moura já não está ao lado dela, que ela zangou-se com a mulher do Mário Moura. Vara diz que se o Mora está no jantar amanhã, então vão saber tudo.

Ver comentários