Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

Estilo televisivo muda política

Apesar de os políticos se terem adaptado à superficialidade da mensagem televisiva, o telespectador não se deixa condicionar.
19 de Maio de 2006 às 00:00
Rémy Rieffel afirma que “se faz uma ideia um pouco falsa da influência dos media na vida política”
Rémy Rieffel afirma que “se faz uma ideia um pouco falsa da influência dos media na vida política” FOTO: Jorge Godinho
A crescente mediatização da vida política está a alterar de forma visível o comportamento dos políticos, mas não exerce um poder determinante sobre o público. A ideia, examinada numa perspectiva essencialmente televisiva, foi defendida em Lisboa pelo sociólogo francês Rémy Rieffel, professor na Universidade de Paris.
Em conferência proferida no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, este estudioso dos media franceses sublinhou que o efeito TV “reduziu as intervenções dos políticos a curtas frases de alguns segundos” e fê-los preocuparem-se “com os pormenores cenográficos”, designadamente os gestos perante as câmaras. Nos comícios, é vulgar ver um apresentador fazer a introdução do interveniente político e daquilo que ele vai dizer, como acontece nos programas televisivos. Por outro lado, “na televisão, quando se fala de política é cada vez mais sobre outras coisas que se fala, e não de política, o que contribui, segundo algumas opiniões, para a despolitização dos cidadãos”.
Apesar disso, este especialista afirma a sua convicção de que “há outros parâmetros” que interferem nas decisões políticas dos cidadãos. Em abono da sua tese, aponta o facto do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, detentor de uma posição dominante na televisão do seu país, ter perdido as eleições legislativas em Abril passado.
CAUSA PÚBLICA E VIDA PRIVADA
A regra, acatada durante décadas pelos media franceses, de que não se fala da vida particular dos políticos pertence ao passado. Há políticos que entram no jogo. Rémy Rieffel refere o exemplo do actual ministro do Interior do seu país, Nicolas Sarkozi. Estrela ascendente na política francesa, começou há alguns anos a surgir em vários acontecimentos públicos com a mulher a seu lado. Quando esta o abandonou e se ligou a outro homem, os media cobriram abundantemente o tema, perante a indignação de Sarkozy. “É incoerente”, comenta secamente o sociólogo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)