Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

EXCESSO DE CONFIANÇA

Chegaram à Academia com muita energia e vontade de vencer. O público expulsou-os, mas no vocabulário dos Excesso não consta a palavra derrota. Os ‘novatos’ preparam-se agora para colher os benefícios da sua participação no concurso.
8 de Março de 2003 às 18:27
EXCESSO DE CONFIANÇA
EXCESSO DE CONFIANÇA FOTO: Manuel Moreira
Os Excesso eram os mais jovens concorrentes da “Academia de Famosos”, com uma carreira muito curta, quando comparada com a dos colegas. Para Ruben, um dos elementos da “boys band”, a inexperiência poderá explicar a expulsão do grupo, embora ressalve que tal não é sinónimo de falta de qualidade. No início, o grupo parecia bem confiante na vitória. Igor chegou mesmo a dizer: “Vamos aproveitar esta oportunidade para ganhar a Academia”. Hoje, bem mais modestos, e depois de o público ter votado na sua saída, os Excesso consideram que a sua participação terminou com um saldo positivo. “O nosso objectivo foi alcançado: chegámos quase a metade do programa e, como ‘novatos’, isso já foi muito importante. Nem que seja só por termos tido a honra de trabalhar com excelentes artistas”, defende Ruben.

Da participação no concurso da TVI, os jovens intérpretes retiraram outros benefícios, menos abstractos do que a honra de figurar entre veteranos. “Aprendemos a lidar melhor com a responsabilidade de cantar bem para agradar a Portugal inteiro. Ganhámos mais experiência e novas amizades. Além disso tivemos a oportunidade de promover o nosso trabalho”, resume Ruben.

No que diz respeito à exposição pública que a participação no concurso da TVI concedeu ao grupo, os efeitos parecem estar já a sentir-se. Os Excesso tornaram-se mais requisitados do que nunca, e o trabalho não falta. “Vamos ter um Verão ocupadíssimo. Continuaremos a explorar o nosso álbum de estreia, ‘Tudo Mudou’. Tem apenas quatro meses, ainda é um bebé…”, acrescenta o mesmo cantor.

Na noite em que os Excesso fizeram a sua última aparição na “Academia de Famosos”, o público colocou também na zona de risco Wanda Stuart e Mico da Câmara Pereira. Se a artista do cabelo azul é uma veterana nas nomeações, Mico fez a sua estreia, uma semana depois da polémica gerada pela apreciação negativa de Júlia Pinheiro à actuação do cantor.

WANDA QUEBRA ENGUIÇO

À terceira é de vez, é um dito que a sabedoria popular instaurou como verdade universal. Nomeada pela terceira vez consecutiva, Wanda Stuart conseguiu manter-se em jogo, provando que as superstições não constituem uma barreira para ela. Esta semana poderemos até assistir a uma inversão no sentido de voto dos espectadores da TVI. Na última gala, Wanda Stuart deu voz e corpo a “All That Jazz”, o tema principal de “Chicago”, película nomeada para 13 Óscares, e que está a causar sensação por onde passa.

“É possível que haja uma inversão, mas para isso é preciso que as pessoas vejam o filme”, ressalva a artista. Mas como nem só de temas célebres vive a “show woman”, para amanhã ela promete uma actuação marcada pela originalidade. “Vou levar uma mistura d’Pátio das Cantigas’. Trata-se de uma experiência inovadora, da minha autoria. É a prova de que a música é universal e pode ser fundida, desde que com bom gosto. E eu tenho bom gosto”, conclui.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)