Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

GISELA EM MARÉ DE AZAR

O programa "Hora da Gi", da TVI já não vai para o ar há duas semanas consecutivas mas Gisela Serrano, numa curta declaração ao CM, disse: "Não fiquei nada surpreendida. Sei porque é que não foi transmitido mas tem que pedir essas informações à TVI. Não tenho autorização para dizer mais nada e não tenho mais nada a declarar".
27 de Julho de 2003 às 00:00
A casa de Gisela na Sub-Serra
A casa de Gisela na Sub-Serra FOTO: Paulo Espadanal
Dos treze programas previstos, cinco foram já transmitidos e oito estão produzidos. "O acordo vai ser cumprido, oportunamente. A TVI é soberana quando decide colocar ou retirar de antena os programas", refere Susana D'Eça Pinheiro, do Gabinete de Imprensa da estação de Queluz.
As fracas audiência de "Hora da Gi", programa transmitido às sextas-feiras pelas 14 horas, o aproveitamento mediático que a "Mulher Furacão" tem dado à sua imagem e as recentes declarações de empresários que fornecem os materiais para a construção da casa que Gisela está a construir na Sub-Serra, em Alhandra, não devem ter agradado nem um pouco ao patrão da TVI.
Recorde-se que Gisela foi a protagonista de uma das transferências mais polémicas da televisão quando abandonou a SIC, onde tinha participado no "Masterplan", para se mudar de armas e bagagens para a casa do "Big Brother Famosos", da TVI. Em troca, José Eduardo Moniz iria realizar um dos sonhos da jovem: ser apresentadora de televisão.
CONSTRUÇÃO CLANDESTINA
Tudo indica que a construção da nova morada do casal Gisela/Luís lhes tenha saído de graça. Isto, de acordo com as declarações de alguns empresários ligados à construção, recentemente vindas a lume.
Só que, pelo menos por enquanto, não vão ser necessários mais materiais de construção uma vez que a obra está embargada pois começou a ser erguida sem autorização da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, concelho a que pertence a zona da Sub-Serra.
Aliás, por aqui a construção é toda clandestina, pelos menos é o que contam os vizinhos de Gisela, cujas casas ladeiam a da apresentadora e que ficam paredes meias, já que a distância entre elas é mínima.
"Os lotes aqui estão todos ilegais. Houve um senhor que comprou a quinta de Quechoa e depois loteou-a. Cada lote custou por volta de 50 contos mas ele não podia fazer as coisas daquela maneira e ainda hoje não está nada resolvido", diz António Rasteiro, um dos vizinhos.
"Já cá estou há mais de trinta anos e está tudo na mesma", garante D. Ilda, a vizinha do lado.
VIZINHOS
'TEMOS POUCAS CONVERSAS' (António Rasteiro)
António Rasteirondo diz que não conhece muito bem os novos vizinhos, Gisela Serrano e Luís Mendes. "Ele ainda hoje (ontem) aqui esteve. Temos poucas conversas. Só há tempos é que surgiu aí um problema, uma máquina cortou-me o tubo de abastecimento de água, por duas vezes. Mas ajudaram logo a reparar o tubo e ficou tudo bem. À conta disso paguei 20 contos de água...", recorda.
'A GISELA SÓ CÁ VEIO UMA VEZ' (Antónia Gomes)
D. Antónia vive em frente da casa do casal, do outro lado da estrada. Diz que conhece Gisela da televisão. "Que eu visse, ela só cá veio uma vez. O marido vem mais vezes. Parecem ser boas pessoas, mas eu não os conheço e também não sou pessoa de me meter na vida dos outros. Eles que venham por bem, que nós aqui estamos se for preciso alguma coisa", adianta a vizinha.
Ver comentários