Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

GLOBO SOMA RECORDES

Da Cor do Pecado', 'Chocolate com Pimenta' e 'Celebridade'. Estes são os nomes do regresso da Globo a audiências que não atingia desde 'O Clone' e 'Mulheres Apaixonadas'. E, se no Brasil, o êxito destas novelas corresponde aos melhores resultados dos últimos anos, por cá os responsáveis da SIC - que transmite as novelas em exclusivo - também se podem deleitar com o balão de oxigénio para as audiências.
1 de Julho de 2004 às 00:00
'Maria Clara Diniz' (Malu Mader) e 'Fernando' (Marcos Palmeira)
'Maria Clara Diniz' (Malu Mader) e 'Fernando' (Marcos Palmeira) FOTO: d.r.
"As novelas da Globo que a SIC transmite foram sempre ganhadoras no horário das 18 às 20 horas", confirma Manuel Fonseca, director de programas da estação de Carnaxide.
"No horário nobre, a SIC tinha perdido a liderança e o confronto com as novelas produzidas pela NBP não nos era favorável", admite ainda. Mas, se "a recuperação começou com 'O Clone' e 'Mulheres Apaixonadas', com 'Chocolate com Pimenta', a SIC conquistou a liderança no 'prime-time'", conforme garante Manuel Fonseca, com base na média 33,4% de 'share' (12,1% de audiência média) mantida entre 12 de Janeiro (estreia) e 31 de Maio, segundo dados da Marktest.
E se, no horário mais cobiçado, a novela das oito, 'Celebridade' estreou no Brasil em grande estilo - com 50 pontos de média (cada ponto representa 49 mil domicílios), segundo dados do Ibope - por cá a cena repetiu-se, com o paralelo possível. Afinal, só em São Paulo vivem cerca de 19 milhões de pessoas.
Em terras de Vera Cruz, a história de 'Maria Clara Diniz' (Malu Mader) e 'Fernando' (Marcos Palmeira), manteve uma média de 'share' de 66,7% e uma audiência média de 44,6%, desde 13 Outubro de 2003 até 15 Maio de 2004. O último episódio, transmitido na semana passada, foi o mais visto de uma novela das 20h00, no Brasil, desde 1993.
E se os brasileiros gostam, os portugueses também. "As razões do sucesso são claras e facilmente enunciáveis", justifica Manuel Fonseca. "A qualidade da escrita, humor e comédia, espectáculo visual, cenários trabalhados, boa iluminação, excelente guarda-roupa e superior qualidade dos actores" são trunfos que o responsável enumera para o êxito se repetir em terras lusas.
BRASIL REJEITA SUCESSOS LUSOS
As três produções portuguesas que estrearam na televisão brasileira no início do ano tiveram um desempenho muito abaixo do esperado, a ponto de uma delas, 'Olá Pai' (TVI), ter sido retirada do ar mesmo sem ter completado o número de episódios previstos para transmissão.
As outras duas produções da NBP, também transmitidas pela TV Bandeirantes - 'Olhos de Água' e 'Morangos com Açúcar' - também não têm convencido os brasileiros e apresentam audiências muito baixas. Segundo a assessoria de imprensa da Bandeirantes, "é difícil encontrar explicação" para um fracasso tão claro. "Não tem nada a ver com a qualidade dos actores, com a tecnologia ou o enredo," simplesmente o público brasileiro não aderiu, nem mesmo os muitos milhões de luso-descendentes que residem no Brasil.
Aliás, uma pesquisa realizada pelo CM entre a comunidade portuguesa em algumas cidades brasileiras constatou que os portugueses nem sequer sabiam que a Bandeirantes estava a exibir estas novelas da NBP. Talvez até por serem dobradas por actores brasileiros, o que a emissora paulista já tinha decidido deixar de fazer com novas produções.
Ver comentários