Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

Guionistas voltam amanhã ao activo

Se tudo correr como previsto, os argumentistas norte-americanos regressam amanhã ao trabalho. Durante o dia de hoje os líderes sindicais vão estar novamente reunidos em Nova Iorque e Los Angeles e deverão anunciar, finalmente, o fim da greve.
12 de Fevereiro de 2008 às 00:30
A ratificação do contrato entre o sindicato dos argumentistas, Writers Guild of America (WGA), e os estúdios de Hollywood só acontecerá daqui a duas semanas.
“É o melhor acordo que o sindicato assinou nos últimos trinta anos, depois da greve mais bem sucedida dos últimos 35 anos”, afirmou Patric Verrone, presidente da ala Oeste da WGA, que agradeceu aos telespectadores por terem “tolerado três meses de reposições e reality shows”.
Mesmo que os guionistas voltem já amanhã ao trabalho só daqui a várias semanas as estações de televisão terão os novos programas prontos para serem exibidos. Os produtores prevêem um mês para as comédias e seis a oito semanas para os dramas.
Resta agora saber quanto tempo as cadeias televisivas demorarão a recuperar as audiências. A CBS foi uma das que mais sofreram com a greve, com uma quebra de 22 por cento. A estação optou por guardar a sua programação de contingência – uma nova temporada de ‘Big Brother’ e episódios especiais da série ‘Dexter’ – para Fevereiro. A ABC teve de cancelar ‘Donas de Casa Desesperadas’ e ‘Anatomia de Grey’, o que fez descer as audiências em 14 por cento. O canal está agora a recuperar graças à exibição de episódios inéditos de ‘Perdidos’. A NBC apostou nos reality shows e perdeu apenas quatro por cento. De todas elas só a FOX manteve o equilíbrio, em grande parte devido ao Super Bowl, que lhe garantiu um recorde de 97,4 milhões de telespectadores.
Recorde-se que a perda de audiências fez com que algumas estações de televisão se vissem obrigadas a devolver dinheiro a empresas que investiram na publicidade em horário nobre.
Com as reivindicações aceites, os argumentistas norte-americanos regressam ao trabalho com novo ânimo. O contrato colectivo de trabalho, válido por três anos, garante-lhes dois por cento do lucro líquido dos distribuidores pela transmissão dos programas em televisão. Terão ainda direito a 36 por cento dos lucros dos distribuidores para os primeiros mil downloads de um programa de TV e pelos primeiros cinquenta mil downloads de um filme sem cortes publicitários.
Mais tarde a participação nos lucros será aumentada para sete por cento e 65 por cento, respectivamente.
SAIBA MAIS
- 14,6 milhões de euros foi quanto custou, por dia, a greve dos guionistas à economia de Los Angeles, onde se concentram os maiores estúdios de televisão e cinema.
- 345 milhões de euros foi quanto custou a greve de 1988, que durou 22 semanas, à indústria de Hollywood, o que equivale a cerca de dois milhões por dia.
desemprego Mais de 19 mil postos de trabalho foram eliminados no primeiro mês de greve.
PRODUÇÃO
Cerca de 60 séries e programas foram cancelados.
ADESÃO
Dos 12 mil argumentistas sindicalizados, 10 500 pararam.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)