Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
4

Herman prefere trabalho com Moniz

A seis meses do fim do contrato que o liga à SIC, Herman José define Outubro como o mês de todas as decisões. O humorista diz que a continuidade em Carnaxide nunca foi colocada em causa, mas não esconde que trabalhar com José Eduardo Moniz está, sempre, nas suas cogitações.
28 de Junho de 2006 às 00:00
“Qualquer canal para onde trabalhe José Eduardo Moniz estará sempre na minha lista de preferências”, responde Herman José ao CM, quando se perguntou se a TVI lhe endereçou algum convite para se transferir. E o humorista justifica o raciocínio. O director-geral da Quatro, diz ele, “foi o ‘padrinho’ do ‘Casino Royal’, do ‘Parabéns’ e da ‘Roda da Sorte’. É dos profissionais mais sérios e afáveis que conheço.”
Transferir-se para outro canal é, pois, uma hipótese que está em cima da mesa. Herman explica: “Estou a 20 anos da reforma. O facto de sair da SIC não apagará jamais o facto de ter vivido, entre os seus profissionais, das experiências mais estimulantes e enriquecedoras da minha carreira. É uma grande empresa e um grande canal de televisão!” E para fazer o quê? O humorista responde: “Não faço ideia. Esses parâmetros terão de ser ditados pelos contratantes. Pessoalmente, estou preparado para todos os desafios. Há uma máxima de vida que adoptei há uns anos: ‘nunca digas nunca!’”
Ora, seguindo tal raciocínio, Herman não enjeitaria a possibilidade de regressar à RTP. “Claro que sim. Na prática nunca cheguei a sair, basta ver a RTP Memória!” (risos).
O autor do programa ‘Herman SIC’ já passou por todas as experiências, razão bastante para saber o que prefere. “A vantagem do formato ‘talk show’ é que ele comporta tudo e permite metamorfoses em todas as direcções. Os programas exclusivamente de humor são muito limitativos e esgotam-se em poucos meses”, afirma ao CM.
Herman confessa que, para já, não está concentrado no que será a sua vida em 2007. “Ainda não se pensou nisso. Vamos de férias em Agosto e, depois, calmamente, falaremos do futuro. Outubro vai ser o mês de todas as decisões. A minha continuação na família SIC nunca foi posta em causa. O que terá de ser discutido é em que moldes.” Por seu turno, o director de Programas do canal de Carnaxide, Francisco Penim, interpelado pelo nosso jornal sobre a matéria, diz que “é prematuro falar”.
A continuar na SIC, o apresentador não esconde que “o formato ‘talk show’, com música e humor, é o seu eleito. “Se a leitura da direcção de Programas for outra, tudo faremos para chegar a um compromisso interessante para ambas as partes”, sublinha o humorista.
E no caso de não permanecer na SIC ou de não se mudar para outra estação de televisão? O que faria Herman nessa circunstância? O apresentador tem a resposta na ponta da língua:”Espectáculos por essa diáspora fora, aproveitando para viajar com tempo, que é coisa que eu não faço há mais de dez anos!” Tal desfecho não constituiria um rude golpe para o humorista, que enfatiza: “Descansar a pele dos ecrãs por uns tempos poderia até ser uma medida bem inteligente.”
Trabalhar um formato para depois negociar com as TV é uma hipótese que Herman José não rejeita. “Mas teria de ser suficientemente estimulante para me levar a isso. Por que não?! Foi o que a Endemol fez com o ‘Big Brother’ em Portugal.
CONSELHOS
'DEVIA TIRAR UMAS FÉRIAS' (Batista Bastos, escritor)
“O Herman José, na minha opinião, devia tirar umas férias sabáticas e, mais tarde, regressar à posição crítica da sociedade portuguesa que em tempos o caracterizou e que tão importante foi para o nosso país. Independentemente dos gostos, ele revolucionou o humor português e, hoje, não vejo ninguém com essa capacidade. É um humorista bem formado, muito culto e com uma variedade de, digamos, piadões, que me parece muito raro. Só é superado pelo Raúl Solnado.”
'NOUTRO TIPO DE PROGRAMA' (Moita Flores, guionista)
“Um dia, gostaria de escrever para o Herman José. Ele tem capacidade interpretativa para entrar numa série histórica, mas era comédia que gostaria de escrever para ele. O Herman é uma figura incontornável da nossa televisão e deve continuar a sua carreira, seja em que canal for. O verdadeiro Herman, o Herman das transformações, que se recria permanentemente, é único e genial. Ele é bom em tudo o que faz, mas penso que deveria continuar noutro tipo de programa.”
'DEFESO TELEVISIVO' (Rui Unas, apresentador de tv)
“Gostaria de ver o Herman José brilhar num registo onde ele se sentisse à vontade para explanar o seu talento. Se na SIC ou noutra estação, como telespectador, é-me secundário. Essencialmente, gostaria de o ver brilhar mais. Penso que seria bom para ele fazer uma espécie de defeso televisivo, porque estar muitas horas no ar em televisão desgasta. Mas acho que Portugal não pode estar muito tempo sem o Herman na televisão. Ele continua a ser uma referência no nosso humor e na nossa televisão.”
AUDIÊNCIAS
ÚLTIMO ANO
Entre Junho de 2005 e Junho de 2006, o ‘Herman SIC’ foi visto, em média, por 605 mil telespectadores, correspondentes a 6,4% de audiência. Por sua vez, o ‘share’ médio foi de 26%, ou seja, apenas um em cada quatro espectadores assistiram ao ‘talk show’ do humorista.
O MELHOR
No último ano, o melhor dia de Herman José na SIC foi 18 de Dezembro de 2005, data em que o ‘Herman Circo’ foi para o ar no lugar do habitual ‘talk show’. Relativamente ao ‘Herman SIC’, 19 de Março, registou o melhor resultado: 40% dos telespectadores viram o aniversário do humorista.
O PIOR
A 11 de Junho de 2006, Herman José registou a sua pior audiência dos últimos 12 meses. Embora embalados pelo jogo Portugal- –Angola, só 349,5 mil pessoas se mantiveram sintonizadas na SIC. Ainda assim, o ‘Herman SIC’ obteve um ‘share’ superior à sua média: 28,9%.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)