Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

ÍDOLOS 2 VAI TER MENOS AUDIÊNCIA

“É a realização do meu grande sonho!”. Quase um ano depois de terminada a primeira edição do ‘Ídolos’, exibida pela SIC, Ricardo Oliveira, o segundo classificado no concurso, prepara-se para lançar o seu primeiro álbum.
24 de Agosto de 2004 às 00:00
‘Ricardo Oliveira’, assim se chama o disco, foi produzido por Luís Jardim, um dos membros do júri do programa, e foram precisos apenas três dias para gravar os dez temas, dos quais alguns são versões de “grandes cantores”, como Rui Veloso”, e outros têm letras de António Oliveira, pai de Ricardo.
“Apesar de ser o meu pai a escrever as letras, identifico-me com cada uma delas, mas a música ‘Jardim dos Meus Secretos Temas’ é a que mais significado tem para mim”, disse o cantor entusiasmado, enquanto olhava para o disco.
Previsto para sair em Março, o álbum teve alguns contratempos e segundo Ricardo Oliveira “finalmente está terminado”, a menos de um mês de começar a segunda edição do ‘Ídolos ‘.
“Está-se a aproximar Setembro, vai começar o concurso outra vez e sei que as pessoas vão ver caras novas e a minha vai ficar para trás. Tenho um bocado de receio, mas sou bastante persistente e não vou desistir, vou lutar por aquilo que quero”, confessa.
Em relação ao ‘Ídolos 2’, o jovem de 24 anos acredita que “vai ter menos audiência que o primeiro”, pois considera que “o público se cansa de programas repetidos”. Aos concorrentes que vão entrar nesta segunda edição Ricardo aconselha: “Desejo-lhes toda a sorte do mundo, mas é preciso que não se iludam com o programa. Não é por estar na televisão que somos mais do que os outros. Não se esqueçam de que quem vota é o público e preparem-se, pois o dia das galas é o mais difícil. E não tenham medo do Luís Jardim”.
Ricardo admite que, graças ao ‘Ídolos’ e a Luís Jardim, que “simpatizou” com ele, foi possível realizar este sonho, mas realça que não vai deixar de fazer o que fazia antes de entrar no concurso. “Cantava em bares e animava casamentos e baptizados, porque é isso que me dá dinheiro para sobreviver. Independentemente do disco vender ou não, não vou deixar de viver da música”, refere.
Dizem que o seu estilo é “baladeiro” e pop moderno, mas Ricardo afirma não ter ainda um estilo definido, “talvez no segundo disco”.
Humilde, simples e muito bem-disposto, o cantor define-se como “uma pessoa igual às outras, nem mais nem menos”, e o seu maior desejo é que o público goste do álbum. “Quando canto ao vivo, tento mostrar aquilo que sou e estou consciente que tenho humildade suficiente para ser um grande cantor português”, remata.
Sem espectáculos agendados por enquanto, a data de lançamento do CD ainda não está definida, mas “se o disco vender”, o ex-participante do ‘Ídolos’ não se importava de ser o próximo Rui Veloso.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)