Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

Marcelo defende um canal público

Na apresentação da obra do crítico de TV Eduardo Cintra Torres, com José Pedro Zúquete, ‘A Vida Como um Filme – Fama e Celebridade no Século XXI’, Marcelo Rebelo de Sousa fez uma reflexão sobre a temática e o fenómeno na televisão. À margem do evento, o professor disse, ao CM, defender um único canal de serviço público, sem publicidade.
4 de Novembro de 2011 às 01:00
Eduardo Cintra Torres recebeu Marcelo Rebelo de Sousa que apresentou o seu livro
Eduardo Cintra Torres recebeu Marcelo Rebelo de Sousa que apresentou o seu livro FOTO: João Miguel Rodrigues

"O mínimo seria retirar a publicidade do canal público e o máximo fechar um canal se, de facto, dá assim tanta despesa". Opinião partilhada por Cintra Torres: "Se houver um canal do Estado sem publicidade que faça programas alternativos aos dos privados chega".

Rebelo de Sousa considerou ainda que o "timing do Governo em apresentar o Plano de Sustentabilidade da RTP, sem as conclusões do grupo de trabalho que vai definir o conceito de serviço público, é incomodativo".

Sobre o tema, Cintra Torres, que integra o grupo, remete-se ao silêncio.

"Em vésperas de privatização de um canal da RTP, como é que será a canibalização dos meios televisivos? Significa ver quem é que cria mais ‘famosos'? É a melhor maneira de ter audiências", afirma Marcelo Rebelo de Sousa, que conduziu a apresentação do livro. O comentador da TVI, que distinguiu a figura célebre (com carisma) da celebridade, falou ainda da mudança de cenário no meio audiovisual, com a disputa pelo espaço publicitário ao "minuto".

E é precisamente sobre a dimensão económica das celebridades que fala Cintra Torres nesta obra.

MARCELO REBELO DE SOUSA CINTRA TORRES LIVRO CELEBRIDADES TELEVISÃO MEDIA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)