Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
4

Marina e Lipari favoritos

A mãe de Marina Rodrigues não tem dúvidas, mas, mesmo que tivesse, não lhe ficava mal dizer que a filha é a favorita à vitória do concurso ‘A Bela e o Mestre’. Fátima Rodrigues não esconde, por outro lado, que aprecia muito o par da filha, Carlos Lipari.
23 de Março de 2007 às 00:00
Fátima já tem favoritos: a filha e o seu ‘mestre’, como não poderia deixar de ser, mas também acha “muita piada ao casal que tem o concorrente mais alto da casa”, ou seja, o par formado por Gil e Sandra. O companheiro da filha, esse, diz a mãe de Marina, “é muito simpático” e acaba por estar “feliz pela escolha” que a ex-Miss Portugal fez.
A mãe da concorrente madeirense sublinha ao CM que o concurso da TVI pode dar a entender que as oito ‘belas’ (agora sete, pois uma já foi expulsa) “são burras e isso não é verdade, pelo que, inicialmente, não viu com bons olhos a participação da filha. No entanto, acabou por lhe dar “toda a força depois de saber que estava decidida a participar”. E agora até confessa através do nosso jornal: “Espero que ela ganhe.”
Também o pai da ex-Miss Portugal acredita que a vitória poderá ser uma realidade, embora esse seja, obviamente, um objectivo comum a todos os participantes. “Todos os que entraram no programa estão à espera de ganhar. Ninguém pode ser santinho ao ponto de dizer que não entrou para ganhar. Por isso, oxalá que a Marina tenha sorte e saia vencedora”, diz ao nosso jornal Mário Rodrigues, empresário da construção civil.
Para lá da questão financeira – cem mil euros a dividir pelo par vencedor – o triunfo no concurso da estação de Queluz de Baixo daria imenso jeito a Marina, que “não teve oportunidades quando foi eleita Miss Portugal. Não lhe proporcionaram qualquer chance e estou certo que uma Miss Austrália, África do Sul, Venezuela, entre outras, são tratadas como rainhas. Em Portugal, infelizmente, não é assim”, critica Mário Rodrigues.
O pai da concorrente insular, confrontado com as fotografias que as concorrentes têm de identificar, confessa que “acertava em todas as personalidades” que surgiram no ecrã gigante. E, a propósito do desempenho da filha nesse domínio, Mário Rodrigues diz que Marina, a despeito de não ter reconhecido Fidel Castro, “conseguirá demonstrar que as mulheres bonitas não são burras”.
Tânia, a irmã mais velha, acha que a Marina “está a portar-se bem. Ela é alegre, faladora, risonha, humilde e não tem medo de dizer o que pensa” e o concurso, enfatiza, pode “abrir-lhe portas na mo-da”. Mas ressalva: “A Marina está a tirar o seu curso”, ou seja, tem também um plano B. Tal como a mana, Tânia também “não sabia” quem era Fidel Castro, até porque não liga a “questões políticas”.
A MANA E FIDEL CASTRO
“Sempre que posso vejo o programa”, disse ao CM Cláudia, de 18 anos, a mais nova da família Rodrigues. A aspirante a enfermeira confessa estar a “gostar” da participação da irmã, garantindo que Marina se “integra bem” entre os participantes. “Ela é muito divertida”, sustenta.
Habituada a “sair à noite com os amigos e o namorado”, esta será uma mudança radical no quotidiano da ex-Miss Portugal. Contudo, Cláudia refere que a mana está “preparada e tem um carácter forte”. A pergunta sacramental: e Fidel Castro? Marina não soube identificar o líder cubano. Cláudia tem uma justificação para o falhanço da irmã: “O nervosismo, por vezes, baralha as pessoas e acredito que tenha sido isso que aconteceu. Há muitas que criticam e nem sabiam que era Fidel Castro. Agora, podem dizer que sabem, mas só para não ficar mal...”
TATIANA BEIJA PIANISTA
Já se sabia que o amor andava no ar entre a ‘bela’ Tatiana, de Oeiras, e o menino querido de todas as concorrentes, Carlos Lipari. Mas o que as câmaras ainda não tinham mostrado foi o primeiro beijo que ela trocou com o estudante e pianista da Amadora. Tatiana e Lipari têm ficado muito tempo sozinhos no quarto do ‘mestre’, par de Marina. Agora, o jovem deixou escapar que os dois já se beijaram. Tatiana quer discrição e alertou: “Se falarem disto na gala vou arrumar com o assunto, da maneira que eles não querem.”
A BELA CALINADA
LILIANA MENDES: Quem é o zapatero? Já ouvi falar, mas não sei quem é! A ETA? Não sei... - José Luis Zapatero é o primeiro-ministro espanhol e a ETA é uma organização terrorista, com sede no País Basco.
NUNO FIGUEIREDO: O mau gosto não nasceu comigo, o que é que queres que eu te faça? - O ‘mestre’ falava com o par, Tatiana, sobre a sua falta de gosto para as roupas durante a prova em que tinha de escolher a indumentária que a ‘bela’ iria vestir. O que ele, no fundo, queria dizer era: “O bom gosto não nasceu comigo.”
VERA LAPA: Sabes o que é que a rota do cabo veio fazer à rota da Sida?A ‘bela’ estava a aprender História e tentava memorizar a matéria. O que ela queria dizer era: Rota da Seda.
O OLHAR DE MESTRE (A opinião de Manuel Serrão, Empresário)
Como me pediram para ser imparcial neste ‘olhar’, hoje estou ao lado das ‘belas’ contra o júri.
Na última gala ficámos a saber que no júri são todos de esquerda, menos a Marisa que é do João Pinto. Porquê? Não fosse o CDS andar a ter uns problemazinhos e tenho a certeza de que já teriam feito queixa a Cavaco.
Quando as ‘belas’ aceitaram expor a sua beleza despreocupada e desprendida das outras coisas da vida, aposto que não lhes disseram que iam ser obrigadas a ouvir a Clara Pinto Correia a dissertar sobre o 25 de Abril de um ano em que ainda ninguém usava botox.
E a ‘tanga’ da minissaia? É muito mais grave existir no júri quem pense que era proibido andar de mini antes do 25 de Abril do que a bela Marina não saber quem é o Freitas do Amaral. Ainda por cima, numa foto antiga, do tempo em que ele ainda era de direita.
É certo que não iam cruzar as pernas para o ‘Zip-Zip’, mas dizer que ninguém podia andar de minissaia é uma bela calinada.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)