Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
5

Moniz queria avançar com negócio

Zeinal Bava queria convencer Cavaco a avançar com compra da TVI
3 de Julho de 2010 às 00:30
Patrão da PT admitia comprar a TVI mesmo depois do veto do Governo
Patrão da PT admitia comprar a TVI mesmo depois do veto do Governo FOTO: Miguel A.Lopes/Lusa e Vítor Mota

José Eduardo Moniz e Zeinal Bava queriam avançar com o negócio entre a PT e a TVI, mesmo depois da oposição do Governo. Quem o diz é Rui Pedro Soares, numa conversa com Paulo Penedos, às 20h32 de 26 de Junho.

O veto de José Sócrates foi divulgado pela manhã, mas, à hora de jantar, Rui Pedro revelava que ainda iam 'reunir para decidir se avançam ou não'. Segundo o antigo administrador da PT, Zeinal Bava transmitiu que Moniz 'está de acordo com o negócio e que, portanto, não tem que estar subjugado aos timings políticos'.

Com as notícias do interesse da Cofina e da Ongoing, Bava terá dito que 'o negócio vai ter que ser para ele'. Assim, estava disposto a convencer Cavaco Silva. 'Se conseguir convencer o Cavaco e o Moniz estiver de acordo, isto ainda pode ser para ele', diz Rui Pedro.

Penedos não está de acordo e aconselha o amigo: 'Vai-se levantar uma polémica monumental, que é o desrespeito pela orientação do Governo, vai--lhe cair tudo em cima'. Rui Pedro diz que vai dizer 'que vai haver fractura no conselho [de administração] e que o melhor é aguardar pelo resultado das eleições e dar um sinal à Prisa de que daqui a três meses podem voltar a conversar'.

'CM' DIVULGA NA ÍNTEGRA DOCUMENTO DA PJ DE AVEIRO ENVIADO PARA O PARLAMENTO

26 de Junho 13h31

João Carlos Silva (JCS) e Paulo Penedos (PP)

JCS diz a PP que está tudo tolo, está tudo doido. Então depois de o Zeinal ontem ter feito aquela ‘performance’ brilhante, acontece agora o nosso amigo a dizer... é muito complicado... eu não percebo isto. PP diz que tem a ver com o Sócrates não se querer ver embrulhado numa guerra e... pronto... isto tinha um tempo para se fazer, não se fez nesse tempo... agora... JCS diz que a questão é esta: O problema é o remédio, o remédio é que vai criar a ideia de que há uma interferência! Depois de o Zeinal ontem ter dito que aquilo era muito bom estrategicamente, que era necessário, e isto e aquilo... e a maioria dos analistas a dizer que... dependendo do valor, do ponto de vista estratégico era interessantíssimo... agora este recuo parte do cumprimento de ordens contra os interesses da empresa. Estás a ver a leitura reversa disto? PP diz que sim e que até já ouviu o director do ‘Diário Económico’ dizer isso mesmo. JCS diz que cada qual sabe o que faz e que daqui a um mês já ninguém se lembra disto. PP volta a dizer que o gajo teve medo que dissessem que ele queria controlar tudo e todos. JCS, mudando de assunto, pergunta a PP se se lembra daquele indivíduo que lhe perguntou... era para fazer um contrato de prestação de serviços e agora o Rui mandou uma mensagem ao Américo a dizer que já não era para fazer. PP diz que vai tentar saber o que se passa e o JCS diz-lhe que não, que deixe andar.

20h32

Paulo Penedos (PP) eRui Pedro Soares (RPS)

RPS liga a PP e diz-lhe que vão ter que se reunir para decidir se avançam ou não com o negócio, que o Zeinal está radicalizado. E diz que não sabe por que é que não há-de avançar com o negócio. Pergunta ao PP o que é que ele acha que devem fazer. PP responde que não acredita que depois da posição do Governo haja maioria no Conselho de Administração para o negócio passar e, por isso, não vale a pena a Comissão Executiva entrar numa estratégia de... RPS interrompe e diz que ele (Zeinal?) diz que o Moniz está de acordo, que lhe comunicou que está de acordo com o negócio e portanto que não tem que estar subjugado aos timings políticos.

PP responde que vai-se levantar uma polémica monumental que é o desrespeito pela orientação do Governo, vai-lhe cair tudo em cima... RPS diz que o gajo lhe disse que isso só acontece em Portugal e que agora está pressionado porque a Cofina e a Ongoing estão quase a fechar e diz que o negócio vai ter que ser para ele. RPS pergunta a PP o que é que deve dizer e PP responde-lhe que está numa posição lixada. RPS diz que vai dizer que vai haver fractura no conselho e que o melhor é aguardar pelo resultado das eleições e dar um sinal à Prisa de que daqui a três meses podem voltar a conversar. PP pergunta se os outros sem um sinal à Prisa conseguem levantar o dinheiro para fazer o negócio e o RPS responde que isto é muito barato, que num cenário de compra de capital é menos de metade do que a Prisa pagou. RPS diz que o gajo diz que consegue convencer o Cavaco e se conseguir convencer o Cavaco e o Moniz estiver de acordo isto ainda pode ser para ele, não sabe é como é que ele vai fazer isto com unanimidade porque tem que convencer o Cavaco, o Sócrates e o Moniz e volta a perguntar ao PP o que lhe parece. PP responde que o Sócrates não volta com a palavra atrás, que isso é limpinho, já que manifestou a oposição por não querer que o negócio seja explorado... também não é por isso que o Estado vai tirar a golden share de lá.

RPS pergunta se os militares deixam tirar a golden share e deixar a rede fixa já que a PT assegura as comunicações estratégicas do Estado. Falam das várias vertentes do negócio (compra dos canais, compra da produtora ou negócio de capital) e o PP diz que para as pessoas, seja qual for a forma de negócio, é sempre um negócio, que agora tinha que ser o Cavaco a fazer uma declaração em que se dizia esclarecido mas não acredita que isto aconteça porque equivaleria a tirar o tapete à Manuela Ferreira Leite. RPS pergunta: E se agora for a Cofina a comprar? PP responde que a Cofina não tem dinheiro do Estado... é encarado como um negócio entre privados, para o Governo era o melhor que podia acontecer.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)