Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

Moura fora da TVI

Joaquim Pina Moura foi ontem nomeado presidente não executivo da holding Media Capital. O cargo assumido pelo socialista “não implica a presença diária nem a gestão corrente, sendo ao mesmo tempo o órgão máximo da administração”, revelou ao CM uma fonte da TVI.
4 de Maio de 2007 às 00:00
O também presidente da Iberdrola terá a seu lado uma comissão executiva, liderada pelo espanhol Manuel Polanco, filho do patrão da Prisa, Jesús Polanco. “Quem manda na TVI é a administração da estação, liderada por Polanco. Pina Moura não terá uma intervenção directa em nenhum órgão de comunicação social do grupo, seja nas rádios ou na televisão”, explicou ao CM a mesma fonte. O ex-ministro das Finanças do Governo de António Guterres ficará encarregue de “dar o seu contributo na gestão estratégica do grupo”, acrescentou a mesma fonte.
Ao conselho de administração liderado por Manuel Polanco juntam-se José Lemos, Juan Herrero, Juan Luis Cebrián, Jaime Roque de Pinho d’Almeida, Tirso Olazábal e Miguel Gil, antigo chefe de gabinete do ex-primeiro- -ministro espanhol, Filipe González.
Annet Aris, que tinha sido convidada como administradora independente, por Miguel Pais do Amaral – que presidiu a empresa durante dez anos – renunciou ontem ao cargo.
O convite da Prisa a Pina Moura para presidente não executivo gerou alguma polémica, dada a proximidade do gestor a José Sócrates e ao Partido Socialista. Ontem, Manuel Polanco justificou a escolha do presidente da Iberdrola com a sua carteira de contactos “na alta finança e na alta política.” Em Espanha a Prisa tem os seus negócios centrados na comunicação social – entre as várias publicações está o ‘El País’ e a ‘Cuatro’ – e é conhecida pela sua proximidade ao Partido Socialista Operário Espanhol, do actual primeiro ministro José Luis Zapatero.
MONIZ PODE SAIR DA TVI
O director-geral da TVI, José Eduardo Moniz, que tem vindo a sofrer algumas “pressões” por parte da Prisa, poderá não resistir e abandonar a estação de Queluz, admitiu ao CM a mesma fonte da TVI.
Uma das últimas exigências do grupo espanhol foi a nomeação de um director de informação, chegando a apresentar vários nomes a Moniz, que os rejeitou.
Para a Prisa, não está em causa a capacidade e o profissionalismo de Moniz, mas a forma como assume as funções. “A empresa está muito satisfeita com a sua performance. É um excelente profissional que pôs a empresa a dar dinheiro. O orçamento da TVI, para as audiências que tem, é metade do orçamento da RTP. Contudo, está permanentemente em tensão seja com quem for, e gosta de fazer isso através dos media”, notou a fonte.
O CM tentou sem sucesso falar com o director-geral da TVI durante o dia de ontem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)