Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
7

O preço a pagar pela verdade

Apesar da polémica e das duras críticas, as inscrições para ‘O Momento da Verdade’ (SIC) aumentaram significativamente desde a exibição do primeiro programa, no passado dia 9.
18 de Setembro de 2008 às 00:00
'O Momento da Verdade'
'O Momento da Verdade' FOTO: DR

'Tem havido muito mais inscrições desde a estreia. Devido a este interesse do público, os castings vão continuar', adianta à Correio TV Pedro Curto, da produtora CBV, responsável pelo formato em Portugal. Enquanto isso, os concor-rentes que já passaram pelo polígrafo tentam lidar com as consequências da sua sinceridade em público. Luís Miguel Carvalho assumiu que traía a companheira, Márcia Brandão, enquanto José Nogueira confessou que era capaz de ter relações homossexuais a troco de dinheiro. E o pior é que Teresa Guilherme promete perguntas ainda mais duras nas próximas semanas. A apresentadora acredita, contudo, que não é o dinheiro nem a fama que levam os participantes a ‘confessarem-se’ perante a família e os telespectadores. 'As pessoas sentem necessidade de assumir publicamente erros, mentiras. E por desejar, assim, serem perdoadas.' Mas nem sempre isso acontece.

Márcia Brandão não imaginava que iria passar pelo maior choque da sua vida em frente às câmaras de televisão. 'A verdade compensa', ou talvez não. Os amigos e vizinhos que assistiram ao novo programa da SIC estão divididos quanto à opinião. 'Se por um lado a Márcia acabou por descobrir que vivia uma vida de mentira, por outro lado sente-se vexada, por ter descoberto à frente de toda a gente.' Quando aceitou ir a ‘O Momento da Verdade’ não sabia que ia descobrir da pior forma a infidelidade do companheiro, Luís Miguel Carvalho, um militar de 27 anos pai da sua filha e a quem se dedica de corpo e alma desde os 18 anos. 'Não quero falar mais disso. Acho que já chega', desculpa-se esta cabeleireira de Espargo, Santa Maria da Feira. Na freguesia às portas da cidade sede de concelho estão todos do seu lado, mas também não recriminam Luís Miguel Carvalho 'porque já foi destacado duas vezes para a Bósnia e tanto tempo sem mulher é difícil', diz António Brandão, avô da jovem. 'Por isso, não acho que tenha sido uma traição mas antes um escape sexual', acrescenta. Os amigos de Márcia também não querem comentar porque, dizem, 'estão todos solidários com o que ela está a passar'. No entanto, sob anonimato, explicam que 'foi um choque para todos'. 'Pior que saber da infidelidade foi a forma como o soube. Em frente às câmaras de televisão, sabendo que o programa seria visto por milhares de pessoas', diz uma amiga, acrescentando: 'Ela não quer falar disto com ninguém. Quer ter forças para superar este momento e seguir com a vida em frente, e fundamentalmente quer deixar a filha, com apenas oito anos, fora disto, embora não seja fácil.' Conta outra amiga que, embora todos evitem tocar no assunto, 'a Márcia sente que está debaixo dos olhares de todos. Ela sofre em silêncio para que a filha não se aperceba do que está a passar. O brilho que tinha nos olhos desapareceu. Ela nunca pensou ouvir o que ouviu, caso contrário nunca teria ido ao programa. Está arrependida de ter ido, mas também confiava no Luís Miguel e nem lhe passava pela cabeça que ele a traía.' A mesma amiga garante que eles sempre foram um casal feliz apesar das ausências dele, por vezes prolongadas, devido à profissão. 'Quem os via parecia que não podiam viver um sem o outro, por isso fomos todos apanhados de surpresa', afirma, lamentando que a 'vida de duas pessoas tenha sido destruída numa hora'.

'Não se pode destruir o que nunca foi construído', contrapõe o avô de Márcia, recordando que a neta 'tem subido na vida a pulso'. António confessa que só soube que a neta tinha ido ao programa com o marido no dia em que foi exibido. 'Quando começou a passar o genérico fiquei admirado por vê-la lá. Acho que poucos sabiam.' O avô de Márcia é o primeiro a sair em defesa de Luís Miguel. 'Um homem que passa tanto tempo fora de casa acaba por ceder ao desejo sexual. Não considero uma traição, porque é apenas uma forma de aliviar esse impulso', explica. Garante que apoia a neta na decisão que ela vier a tomar quanto ao futuro da relação, porque ela é adulta e sabe bem o que deve fazer da sua vida, por isso não quer envolver-se e muito menos fazer perguntas.

Márcia é proprietária do único cabeleireiro de Espargo. Os vizinhos têm a melhor impressão de Luís Miguel, 'um rapaz educado que se sabe comportar e conviver com todos'. No Largo da Estação, em Estarreja, junto ao Bairro da CP, onde Luís Miguel cresceu, criado pela mãe, também são poucos os que querem falar, 'porque não há nada que se lhe aponte. Nunca se meteu em confusões e respeitava toda a gente'. A mãe não estava em casa, 'mas também não fala do assunto e ninguém lhe pergunta nada, por respeito'. Segundo o avô de Márcia, o casal conheceu-se em S. Jacinto, quando Luís Miguel prestava serviço militar na base aérea.

José Nogueira, 44 anos, foi o segundo concorrente de ‘O Momento da Verdade’ e o polígrafo registou como sendo verdade que, por 250 mil euros, aceitava ter sexo com homens. 'Até aviava dois', afirmou. À Correio TV, José Nogueira explicou que a resposta passou no teste porque só pensou no dinheiro. 'Nunca me passou pela cabeça tal coisa, mas por 250 mil euros, carago, então custava alguma coisa?', disse, rindo-se da sua própria ilação. Já a mulher, Maria José, não mostrou achar tanta graça a estas eventuais aventuras. O certo é que este comerciante de Gondomar parece estar disposto a tudo para ganhar dinheiro. E neste ponto Maria José concorda com o marido a cem por cento. 'Foi divertido, fomos até Lisboa com despesas pagas, e por cá não me preocupa o que possam dizer.' Esta família faz questão de esclarecer que não foi ao concurso para se zangarem. 'Nós já sabíamos que havia perguntas polémicas e não tivemos problemas', diz José Nogueira, que assume ter sido apanhado pelas ‘ratoeiras’ e talvez pelo que disse em estúdio em voz alta. 'Eu disse que com cem mil já não arriscava mais e acho agora que não devia ter revelado esta meta, porque pode ter alterado a ordem das perguntas', referiu o concorrente. Com a ambição dos 250 mil euros, José Nogueira arriscou tudo e perdeu tudo. Ainda assim, está convencido de que irá tirar dividendos desta passagem pela televisão. Na terra, uma freguesia nos confins de Gondomar, já perto do rio Douro, esta família passou a ser ainda mais conhecida e até dizem que 'Meda até vai ser mais falada e conhecida no País'. Os vizinhos, aparentemente, também acham interessante que a freguesia seja falada na televisão. 'Muitos portugueses nem sabem que Meda existe', comentam. E, já agora, a família Nogueira espera que a fama atraia mais clientes à mercearia na Rua da Aldeia.

Pouco satisfeita com o novo formato da SIC está a Associação de Telespectadores (ATV), que já considera a possibilidade de vir a apresentar uma queixa à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC). 'É de lastimar que apósapassagemde‘furacões’televisivos como ‘Big Brother’ e apesar de todo o ‘ensopado’ de novelas, a televisão volte a apostar neste tipo de reality shows', lamenta à Correio TV Rui Teixeira Motta, presidente da ATV. E deixa o aviso: 'Vamos estar muito atentos às próximas edições do programa, no sentido de avaliar aspectos éticos e até legais. Qualquer infracção e apresentaremos queixa.'Já o crítico de TV Francisco Rui Cádima acredita que 'a ERC já tem material suficiente para saber se ‘O Momento da Verdade’ cumpre os critérios da própria licença que foi atribuída à SIC, nomeadamente no que diz respeito à liberdade do cidadão'. Dissertanto sobre a polémica, Cádima afirma que este programa faz parte de um leque de formatos que os programadores utilizam para conquistar audiências, com grande agressividade comercial, uma vez que contém elementos que estão no limite da defesa da privacidade, do bom nome, da imagem, que colidem com os princípios das liberdades e garantias do cidadão.'

'MOMENT OF TRUTH'

CASAMENTO DESFEITO NOS EUA

Desde Janeiro de 2008 que ‘Moment of Truth’, da Fox, agita a opinião pública e põe termo às relações mais sólidas. Um dos casos mais recentes é o de Lauren Cleri. A concorrente, de 26 anos, admitiu no programa que já tinha traído o marido, um polícia de Nova Iorque, e que estava apaixonada por um ex-namorado quando casou com ele, há dois anos. O casal acabou por divorciar-se.

EX-POLÍCIA ESPANHOL DOMINA POLÍGRAFO

O homem que mais entende de polígrafos em Portugal é um ex-agente espanhol que trabalhou para a CIA. É ele que, em duas estações de televisão concorrentes, descodifica as informações do detector de mentiras. Falamos de ‘Factos em Directo’, rubrica de ‘As Tardes da Júlia’, na TVI, e de ‘O Momento da Verdade’, na SIC.

FRANCISCO VAI À TVI

Francisco Freitas, de 41 anos, concorreu a ‘O Momento da Verdade’, andou de casting em casting e, na semana em que ia enfrentar o polígrafo, recebeu um sms a dizer que tinha sido excluído. O caso, que o CM noticiou em primeira mão, leva este ex-candidato, divorciado e homossexual assumido, a afirmar:'Quem precisava de ir ao polígrafo era a produção. Se calhar há algum homofóbico na SIC!' Avida de Francisco Freitas está prestes a ser conhecida no programa ‘As Tardes da Júlia’. 'No dia 24 vou à TVI, contar a minha história, sem ganhar qualquer dinheiro em troca. Vou porque sinto necessidade de que as pessoas a conheçam, para que não cometam os mesmos erros, como, por exemplo, estar casado com uma mulher sem ser isso o que deseja.' Em relação ao primeiro ‘O Momento da Verdade’, Francisco Freitas acusa:'Além de o concorrente nem sequer saber falar, era um caso de traição, uma coisa banal na vida portuguesa.'

Ver comentários