Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
9

Paixões a bordo

Do tema musical ao genérico, passando pelo guarda-roupa e pelos penteados, tudo nesta série é antiquado e remete-nos para a década de 70. O tempo deixou a sua marca, porém não foi capaz de afundar ‘O Barco do Amor’.
7 de Janeiro de 2005 às 00:00
Passado a bordo do Pacific Princess, um cruzeiro de luxo, ‘O Barco do Amor’, que integra a grelha da SIC Comédia, apresenta, em cada episódio, três ou quatro histórias, a maioria delas românticas, outras de carácter humorístico, nas quais os tripulantes ajudam os passageiros a transformar as suas vidas amorosas. O capitão ‘Merril Stubing’ (Gavin McLeod), a sua filha ‘Vicki’ (Jill Whelan), o médico ‘Adam Bricker’ (Bernie Kopell), o comissário de bordo ‘Gopher Smith’ (Fred Grandy) e o bartender ‘Isaac Washington’ (Ted Lange), protagonistas desta série de culto, ficaram para a história da televisão.
Baseado numa ‘sitcom’ dos anos 50, também desenrolada a bordo de um navio, ‘The Gale Storm Show’, ‘O Barco do Amor’ estreou-se na estação norte-americana ABC em 1977. Ao longo de dez temporadas, que se estenderam até 1986, a série contou com a participação de múltiplas celebridades da televisão e do cinema. Para além da popularidade que gozava na época, proporcionava aos actores viagens a locais exóticos a bordo do Pacific Princess. Kathy Bates, John Ritter, Jacklyn Smith, Milton Berle, Leslie Nielsen, Adrienne Barbeau, Dick Van Patten, Sonny Bono, Billy Crystal, Vincent Price, Jamie Lee Curtis, Corey Feldman, Raymond Burr e Don Ameche foram apenas algumas das dezenas de vedetas que passaram pelo convés de ‘O Barco do Amor’. Este foi, aliás, um dos segredos do sucesso da produção.
Embora séries anteriores como ‘Supertrain’ e ‘Masquerade’ tivessem recorrido a convidados especiais em todos os episódios, ‘O Barco do Amor’ foi a primeira produção a transformar as celebridades convidadas numa imagem de marca. A maioria dos episódios foi gravada a bordo da embarcação comercial Pacific Princess, durante os cruzeiros efectuados entre as Ilhas Virgens e o Alasca. O Island Princess e o Pearl of Scandinavia foram esporadicamente usados como cenário da produção.
Uma vez que as gravações decorriam durante viagens normais, muitos dos figurantes eram passageiros convidados a participar nas gravações. Para além de ter inspirado uma sequela no final dos anos 90 (ver caixa), ‘O Barco do Amor’ deu origem ao telefilme ‘The Love Boat: A Valentine Voyage’ (1990), realizado por Ron Satlof.
SEQUELA METEU ÁGUA
Em 1998, mais de dez anos depois de ‘O Barco do Amor’ ter abandonado os ecrãs, a UPN Network tentou reproduzir a receita de sucesso, lançando ‘Love Boat: The Next Wave’ (‘O Barco do Amor: A Onda Seguinte’), inédito em Portugal. Esta segunda série, com um formato muito similar ao original, contou com um novo elenco, onde se contavam os nomes de Robert Urich, Joan Severance, Phill Morris e Corey Parker. A história girava em torno de ‘Jim Kennedy’ (Robert Urich), reformado da marinha militar, divorciado e com um filho adolescente, que toma o comando do célebre navio. As novas aventuras do Pacific Princess não tiveram o mesmo sucesso junto dos espectadores e a série durou apenas duas temporadas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)