Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

Portas abertas para tesouro chinês

Mistérios de Cidade Proibida desvendados ao fim de seis séculos.
19 de Janeiro de 2007 às 00:00
Palácio imperial começou a funcionar em 1421
Palácio imperial começou a funcionar em 1421 FOTO: d.r.
As câmaras de televisão penetraram no local que durante séculos esteve reservado exclusivamente à família imperial chinesa, a funcionários do Estado e a serventes do mais alto nível. Na verdade, não é a primeira vez que tal acontece, mas o documentário de duas partes que o National Geographic co-produziu com a Televisão Central da China é apresentado pelo canal norte-americano como “um acesso sem paralelo ao Palácio Proibido” finalmente proporcionado aos telespectadores.
Antes de 1912, alguém que entrasse sem autorização nesta cidade localizada no coração da cidade de Pequim pagava a ousadia com a vida, através de um suplício lento e particularmente doloroso. A lendária Cidade Proibida consiste, sem dúvida, no maior complexo palaciano do mundo. O interesse do público pelas suas particularidades arquitectónicas e pela decoração e recheio das suas salas despontou em 1925, quando o espaço foi aberto a todos os interessados sob a forma de museu. No dia em que isso aconteceu, o número de visitantes foi tal que o trânsito paralisou em Pequim num monumental engarrafamento. Foi sol de pouca dura. Seis anos depois, as autoridades chinesas decidiram proceder ao encaixotamento das preciosas peças mantidas na antiga Cidade Proibida.
A ameaça representada pela invasão japonesa, ocorrida em 1931, foi enfrentada metendo treze mil caixas e objectos em três longos comboios, que durante cinco anos fugiram à perseguição movida pelas tropas do império do Sol Nascente. Só depois do termo da Segunda Guerra Mundial, ocorrido no Verão de 1945 com a derrota do Japão, as peças puderam voltar ao lugar de origem, o qual, no entanto, se encontrava em avançado estado de ruína. O documentário em duas partes que o National Geographic exibe no domingo, dia 21, alude a estas ocorrências determinantes e revela segredos de pessoas que viveram na lendária Cidade Proibida.
IMAGENS EM ALTA DEFINIÇÃO
SÉRIE DÁ ORIGEM A DOCUMENTÁRIOS
Filmado originalmente co-mo série de doze episódios, exibida na China com elevadas audiências, o documentário co-produzido pelo National Geographic e a Televisão Central da China as- sumiu finalmente a forma que lhe foi destinada para a respectiva divulgação internacional. O canal National Geographic emite para 286 milhões de lares de 163 países e a Televisão Central da China atinge um público doméstico de mil milhões de pessoas. Estes números traduzem o elevado nível de audiência potencial das imagens sobre a Cidade Proibida produzidas em sistema de alta definição.
9.999 SALAS DO PALÁCIO
O documentário mostra algumas imagens caracterizadas como impressionantes desta imensa construção que, segundo os registos tradicionais, compreende 9999 salas.
OS SEGREDOS DA CIDADE PROIBIDA (Domingo, 21 - 20h00)
Foi o lar de 24 imperadores entre 1420 e 1912 e sede de governos cujo funcionamento era extremamente burocrático. Os edifícios que integram o palácio, construídos quase exclusivamente em madeira, foram declarados Património da Humanidade pelas Nações Unidas.
O RESTAURO DA CIDADE PROIBIDA (Domingo, 21 - 21h00)
Depois de obras executadas no primeiro quartel do século XX, as autoridades chinesas só puderam proceder ao reinício das obras de restauro nos anos 50. Mais recentemente, foi desencadeado um gigantesco projecto de recuperação.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)