Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

Portugal é o segundo País com mais ataques informáticos

Pandemia contribuiu para o aumento dos crimes informáticos e o nosso país está sob forte ameaça.
Duarte Faria 25 de Agosto de 2020 às 08:22
Computador
Ataque computador
Computador
Ataque computador
Computador
Ataque computador

Recebeu uma mensagem de um banco ou de uma qualquer loja a pedir para atualizar dados para não perder acesso? Pois bem, não é caso único.

Os ataques informáticos por SMS ou email dispararam desde que começou a pandemia e um novo estudo coloca Portugal no segundo lugar dos países com mais ataques de phishing.

O termo designa a tentativa fraudulenta de obter informações confidenciais como nomes, senhas e detalhes de cartões de crédito das vítimas. Para fazer estes ataques, os piratas informáticos fazem-se passar por entidades credíveis.

Segundo a investigação da Kaspersky, empresa especializada em segurança informática, no segundo trimestre de 2020, ou seja de abril a junho, "Portugal é o segundo país com a maior percentagem de utilizadores atacados por phishers (13,51% do total de utilizadores)".

À frente do nosso país ficou apenas a Venezuela (17,56%). Foram "detetados novos truques de phishing, desde emails de despedimento enviados em nome de departamentos de Recursos Humanos a ataques disfarçados de notificações de entrega".

A Kaspersky lembra que o phishing "é um dos ataques de engenharia social mais antigos e flexíveis do cibercrime, utilizado com o objetivo de atrair utilizadores menos precavidos para um determinado website, levando-os a fornecer informações pessoais a hackers mal intencionados".

Entre os países com mais ataques deste género contam-se ainda Tunísia, França, Brasil, Qatar, Bahrein, Guadalupe, Bélgica e Martinica.

Ver comentários