Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

Precários da RTP e Lusa chegam ao Parlamento

Situação de centenas de prestadores de serviços denunciada na Assembleia da República.
João Bénard Garcia 7 de Dezembro de 2018 às 01:30
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
Trabalhadores precários juntaram-se frente à RTP para protestar contra as condições de trabalho
O parlamento vai debater esta sexta-feira a precariedade na RTP e na Agência Lusa. Por iniciativa do PCP, as centenas de casos de precários, com subcontratações, falsa prestação de serviços em outsourcing e falsos recibos verdes, serão alvo de discussão por todos os partidos.

Diana Ferreira, deputada comunista eleita pelo círculo do Porto, avança ao CM qual é a gravidade do tema, colocando uma entre muitas questões: "Como é possível haver, nestas empresas, pessoas que estão há 5, 7, ou até 30 anos, com vínculos precários, a responder a necessidades permanentes de serviço?"

A deputada vai denunciar casos concretos de empresas que fornecem trabalhadores precários para a RTP, RDP e Lusa, colocando dois nomes sobre a mesa: "Green e DTVision são empresas que subcontratam profissionais sem quaisquer direitos, mas são eles que garantem muitas das emissões da RTP."

O PCP promete denunciar, ainda, "histórias de precários com 20 e 30 anos de casa", realidades que Nélson Silva, delegado sindical da RTP, conhece bem e que promete denunciar, com provas.

"A mais descarada das situações na RTP é da Green, que se desdobra em várias empresas", acusa, alertando para uma consequência que diz ser "perigosa": "Os precários estão a sofrer represálias com cortes nos pagamentos."

PORMENORES
Trabalhadores integrados
A RTP vai integrar 130 trabalhadores até março de 2019, por ordem do ministro das Finanças, Mário Centeno.

Sentenças judiciais
São 25 os falsos recibos verdes que terão já um regime de exceção para integrar os quadros por terem obtido sentenças judiciais favoráveis.

Ações em tribunal
Falsos recibos verdes que trabalham na RTP Porto avançaram com ações contra a empresa por não concordarem com as negociações. São 76 pessoas.

O mais antigo
Um dos casos mais antigos de recibo verde na RTP é de um tradutor. Desde 1987 que ganha como tarefeiro.
RDP Porto RTP Agência Lusa Green PCP Nélson Silva DTVision economia negócios e finanças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)