Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

Produção infantil estimula educação para a diferença

Série ‘Ilha das Cores’ marca nova aposta da estação pública.
4 de Maio de 2007 às 00:00
Mina Andala e Duarte Gomes são dois dos actores desta série
Mina Andala e Duarte Gomes são dois dos actores desta série FOTO: Duarte Roriz
Diálogos, cenários , guarda-roupa, música, tudo foi estudado ao pormenor na ‘Ilha das Cores’, a série infantil de 80 episódios que a RTP 2 estreia dia 7 e que alia desenhos animados a imagens reais e virtuais, bonecos manipulados a actores.
De estetoscópio ao pescoço, Joana, papel interpretado pela actriz Mina Andala, é uma das cinco personagens que habitam uma das cinco casas que povoam a ‘Ilha das Cores’. É ela que faz a educação para a saúde. “Sou a única médica na ilha e tenho a preocupação de mostrar às crianças como é importante comer bem, respeitar hábitos de higiene, fazer exercício físico e evitar situações de risco”, explica.
A actriz, que se estreou na novela ‘Ganância’ (2001, SIC), tem um sobrinho de cinco anos e sabe como é pertinente numa produção destinada ao público infantil “usar uma linguagem acessível e simples” sem “cair no erro de ‘infantilizar’ o discurso”. Numa televisão maioritariamente branca, Mina Andala sublinha a importância de lhe ter sido atribuído na ‘Ilha das Cores’ o papel de uma médica, “alguém bem sucedido profissionalmente”. “Na ‘Rua Sésamo’, série que acompanhei na minha infância, não havia nenhuma personagem negra. Este é um passo em frente”, comenta a actriz de 29 anos.
A educação para a diferença é precisamente uma das vertentes do novo programa. E é neste âmbito que a ‘Ilha das Cores’ vai poder mostrar aos mais pequeninos que o Mundo é grande, diverso e habitado por pessoas de muitas raças, que comem e se vestem de maneiras diferentes, mas que partilham sentimentos e necessidades iguais. Além da médica Joana, a ‘Ilha das Cores’ é habitada por um bibliotecário e carteiro, uma pescadora, um agricultor e ainda pelos avós Palmira e Jeremias.
Cada uma das cinco casas da Ilha tem uma cor e em cada uma mora uma personagem que se veste com a tonalidade da casa. Na estória, cada personagem representa um objectivo educativo. Aprender a somar e subtrair, consumir com moderação, poupar, reciclar, utilizar o telemóvel, a internet, o computador ou o MP3 são ensinamentos veiculados na série. E porque é a brincar que melhor se aprende, outras personagens ensinam regras de boa relação com os outros e regras de etiqueta adequadas à idade.
Quando for explicado o alfabeto aos telespectadores de palmo e meio, este vai incluir as letras ‘k’, ‘y’, e ‘w’, pois aparecem nos contextos tecnológicos e fazem já parte do alfabeto português dos PALOP. Além destas personagens há um aspirante a inventor, o Leonardo, oriundo da cidade, que visita a vila e cuja acção atravessa todas as estórias da série. Este papel é interpretado por Duarte Gomes, de 20 anos, que apresentou ‘As Pistas da Blue’. ‘Ilha das Cores’ envolveu 100 pessoas e é um original português na grelha da RTP 2, o único canal que emite sete horas diárias de programação infantil em sinal aberto.
OS RESPONSÁVEIS: A MAIS CARA DA RTP 2
“Este é o projecto mais caro do canal”, sublinhou Jorge Wemans, director de Programas da RTP 2. A série, revelou, está orçada em 1,350 mil euros. Para Teresa Paixão, a autora e responsável pelo departamento de infantis há 15 anos, esta produção dá “várias piscadelas de olhos aos adultos” para que pais e filhos a possam ver juntos. “Apesar de ser feita em Portugal, ‘Ilha das Cores’ está aberta ao Mundo”.
ILHA DAS CORES
Canal: RTP 2
Estreia: 7 Maio
Género: Infantil
Repete na RTP 1 aos fins-de semana
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)