Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
5

Quero acrescentar verdade ao filme

Quero fazer uma personagem humana. De coragem. Não me interessa compor um boneco, uma caricatura. Espero que a pesquisa que fiz antes de começar os ensaios e a minha interpretação acrescentem verdade a este filme”, diz ao CM Margarida Vila-Nova, protagonista de ‘Corrupção’, filme de João Botelho.
19 de Julho de 2007 às 00:00
Conselhos e dicas de Carolina Salgado vão ajudar a traçar novo visual de Margarida Vila-Nova
Conselhos e dicas de Carolina Salgado vão ajudar a traçar novo visual de Margarida Vila-Nova FOTO: Manuel Moreira
A dez dias do arranque da rodagem da película, que começa com um décor em Lisboa, a actriz, que já assumiu ser este um dos “maiores desafios” da carreira, diz que a tónica do seu trabalho de composição vai sublinhar a “humanidade” de ‘Sofia’, uma mulher que “luta pela sobrevivência”.
O desafio não intimida Margarida Vila-Nova que, explica, não estaria interessada em fazer um filme que não fosse “atrevido” ou pusesse a nu “alguns tabus”.
Apesar dos 24 anos, a actriz diz-se preparada para enfrentar sete semanas de rodagem e muitas cenas “que não serão fáceis de interpretar”. A acção do filme atravessa seis anos da vida de ‘Sofia’, personagem inspirada em Carolina Salgado, e há que interiorizar muitas emoções. “Terei de interpretar uma ‘Sofia’ jovem e ingénua, depois uma ‘Sofia’ mais madura e vivida, umas vezes feliz, outras amargurada ou doente...”
Nesta fase dos ensaios as rotinas da actriz são também preenchidas com “provas de roupa, maquilhagem e cabelo”. Carolina Salgado acompanha as transformações.
ASSEMBLEIA NÃO COMENTA
A Assembleia da República não comenta a recusa que deu à Utopia Filmes para ali serem gravadas algumas cenas do filme ‘Corrupção’. O presidente da AR, Jaime Gama, escusou-se ontem a comentar ao CM a nega dada ao filme realizado por João Botelho e o seu chefe de gabinete não esteve contactável. Segundo Alexandre Valente, director da Utopia Filmes, a explicação da Assembleia da República para a recusa foi a falta de oportunidade. As gravações na AR decorreriam em Agosto, altura em os trabalhos parlamentares estão parados. Recorde-se que em 1993 a AR autorizou a gravação de cenas do filme ‘A Casa dos Espíritos’, com Meryl Streep e Jeremy Irons, em São Bento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)