Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
3

Rei das 'fake news' encontrado morto nos EUA

Artista satírico acreditava ser a razão pela qual Donald Trump tinha ganhado as eleições. Morreu aos 38 anos.
Daniela Espírito Santo 27 de Setembro de 2017 às 23:03
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner
Paul Horner

Paul Horner, um escritor que 'fabricou' histórias noticiosas falsas e declarou ser o responsável pela vitória eleitoral de Donald Trump, morreu na última semana. 

Segundo avança o New York Times desta quarta-feira, as autoridades acreditam que a morte de Horner, de 38 anos, se deveu a uma overdose. 

Horner foi encontrado morto em casa no dia 18 de setembro, mas só agora a morte foi noticiada. 

A família explica que era conhecido o seu abuso de medicamentos e que todas as provas recolhidas na cama onde foi encontrado apontam para uma overdose acidental. 

Os artigos falsos de Horner foram partilhados no Facebook, em diversos domínios criados para o efeito e, recorda o NYT, no site de 'fake news' National Report. Para espalhar informações falaciosas, usava diversos nomes diferentes, incitando respostas positivas por parte dos apoiantes de Trump.

Numa dessas histórias, chegou mesmo a dizer que havia quem recebesse milhares de euros para causar confusão durante a campanha eleitoral de Trump. Noutra, entrevistava-se a si próprio e assegurava já ter pertencido aos Serviços Secretos, estando prestes a lançar um livro onde confirmava que Barack Obama era muçulmano e homossexual. 

O material que inventava era tão utilizado e partilhado online que Horner defendia mesmo ser a razão pela qual Donald Trump está na Casa Branca neste momento. 

Perante a polémica, Horner sempre garantiu que a única coisa que pretendia era fazer humor. "Adoro humor ridículo e estranho. É isso que eu quero fazer", desabafou.
Ver comentários