Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
5

RTP com prejuízo de 31,6 milhões

A RTP registou 36,1 milhões de euros de prejuízo em 2007, ou seja, mais 46,2% do que no ano anterior. Só a programação consumiu 163 milhões de euros ao orçamento da estação pública, um aumento justificado pelas comemorações dos 50 anos da televisão.
2 de Abril de 2008 às 00:30
O relatório de contas apresentado refere-se ao período em que Almerindo Marques (à dir.) e Ponce Leão, então presidente e vice-presidente, lideravam a empresa
O relatório de contas apresentado refere-se ao período em que Almerindo Marques (à dir.) e Ponce Leão, então presidente e vice-presidente, lideravam a empresa FOTO: Pedro Catarino

O aumento das taxas de juro é uma das causas apontadas para justificar o prejuízo da RTP no ano passado. O resultado líquido da estação também piorou, em cerca de 11,4 milhões de euros, face a 2006, ficando-se pelos 13,3 milhões.

Os resultados operacionais registaram um cenário pior em 2007 do que no período homólogo do ano anterior, já que diminuíram 58%, atingindo os 6,9 milhões de euros. Para este resultado contribuiu essencialmente o crescimento dos custos operacionais que aumentaram 11,7% face a 2006, chegando aos 307,9 milhões de euros.

No que diz respeito aos custos, mais de metade foi gasto com a grelha de programação, na altura em que Nuno Santos era director de Programas da RTP e ‘roubou’ o segundo lugar das audiências à SIC. Para o efeito, o ex-responsável contou com 163 milhões de euros, ou seja, mais 12% do que no ano anterior. Este aumento foi justificado com as comemorações dos 50 anos da televisão do Estado.

Os proveitos operacionais também aumentaram, porém, a subida não foi tão significativa quanto a dos custos operacionais, ficando-se por um crescimento de 7,8%.

A RTP recebeu em 2007 um total de 314,9 milhões de euros, ou seja, quase mais 23 milhões de euros do que no ano anterior. O aumento da receita com a contribuição para o audiovisual, que desde o início do ano passado passou a ser cobrada também às empresas, é um dos responsáveis pela subida de 14% no valor deste proveito, passando para 114 milhões de euros.

As receitas com a publicidadetambémconheceram um aumento, melhorando 10% face a 2006, alcançando 74,6 milhões de euros.

A terceira fonte de financiamento da RTP – a indemnização compensatória paga pelo Estado pelo cumprimento de serviço público – cifrou--se, tal como no ano anterior, pelos 126 milhões de euros.

O anterior presidente da empresa, Almerindo Marques, contactado pelo CM, não quis fazer comentários às contas da estação.

DISCURSO DIRECTO: "EM 2008 OS CUSTOS DEVEM DIMINUIR":  Ponce Leão, anterior vice--presidente da estação pública

Correio da Manhã – Com o fim das comemorações dos 50 anos da RTP, os custos operacionais para este ano ficarão abaixo dos proveitos operacionais ao contrário do que aconteceu em 2007?

Ponce Leão – Em 2008 os custos devem diminuir significativamente. A empresa fica com proveitos mais do que suficientes, na ordem dos 16 a 18 milhões de euros.

– As receitas em publicidade aumentaram 10% e deverão continuar a aumentar este ano. Como enfrentaria a RTP o endividamento caso ficasse sem publicidade?

– Não pode, ou então o Estado tem de substituir a fonte de receita. Pode acontecer como na TVE, ou seja, o Estado fica com a dívida da empresa.

– O aumento da taxa de juro prejudicou os resultados de 2007. Se isso se mantiver, a situação da RTP vai ficar mais difícil?

– Não penso que aumentem muito mais. No entanto, no acordo de reestruturação está estabelecido que tudo o que seja acima dos 3,15% é pago pelo Estado, senão aumenta o endividamento.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)