Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

SARMENTO TRAVA LUSOMUNDO MEDIA

Morais Sarmento considera que este não é o momento para a Portugal Telecom (PT) vender ou realizar parcerias que envolvam os seus negócios de media geridos pela Lusomundo Media.
11 de Novembro de 2004 às 00:00
As recentes declarações públicas do ministro que tutela a pasta da Comunicação Social, feitas esta segunda-feira (à margem do Congresso das Comunicações), surpreendem sobretudo por terem sido proferidas poucos dias depois de Ricardo Salgado – presidente do BES, um dos principais accionistas da PT – ter vindo a público dizer que a empresa não tinha vocação para o negócio dos media.
Do mesmo modo, depois de Sarmento ter sido tão veemente na negação de qualquer interferência governamental na empresa onde o Estado detém uma ‘golden share’, esta atitude também causa alguma estranheza no seio do Partido Socialista.
“Mais uma vez o ministro [Morais Sarmento] falou de mais e não deveria tomar posição quanto aos ‘timings’ da Portugal Telecom”, afirmou ontem ao CM o deputado socialista Arons de Carvalho. Convicto de que “qualquer altura é boa para corrigir o que está mal”, o deputado antecipa ainda alguma “expectativa” quanto ao desenvolvimento de toda esta questão. “Sempre quero ver se a PT vai aceitar esta sugestão do ministro ou se vai mesmo vender a sua quota na Lusomundo Media”, desafia Arons de Carvalho que é da opinião que Morais Sarmento “devia ser mais contido nas suas declarações sobre este assunto”.
Mas o ministro foi claro ao afirmar que esta “é uma matéria para conversar seguramente, com todos os detalhes, em todos os momentos que não este”. Admitindo que a decisão deste negócio (realizado ainda pelo governo socialista) foi “precipitada (...) para não dizer errada”, Sarmento adia assim a eventual intenção de venda ou de parceria da Lusomundo Media, com a justificação de que as decisões não devem ser tomadas “em momentos de tensão ou de crispação”.
Recorde-se também que na sexta-feira passada, em entrevista à TSF, Ricardo Salgado antecipou – não afastando a hipótese de alienação do sector dos media – que “é possível encontrar uma parceria mais abrangente que dê à Lusomundo Media a tal vocação empresarial que a PT, pela própria natureza das coisas, não tem nesta altura”.
O CM tentou ainda obter uma posição junto de Barreiras Duarte, secretário de Estado da tutela, que preferiu não tecer comentários por se encontrar na Holanda, numa conferência ministerial sobre imigração.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)