Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

SIC RADICAL CONSPIRA EM LIVRO

Francisco Penim idealizou, João MacDonald e Luís Guerra escrevem os textos, e Nuno Markl protagoniza ‘O Homem da Conspiração’. O programa vai para o ar de segunda a sexta-feira, na SIC Radical, às 23 horas (aos fins-de-semana, pelas 23h30, o canal exibe um compacto) e, segundo Francisco Penim, director do canal,“é a cara da estação”.
9 de Julho de 2004 às 00:00
Agora, (a cara de) Nuno Markl é também a capa do livro ontem apresentado à Imprensa, que resume por escrito os principais textos que marcam o formato televisivo. “É uma tranquilidade escreverem para mim mas é mais fácil interpretar os meus próprios textos”, afirma Nuno Markl, ou o próprio ‘Homem da Conspiração’. “É quase poesia surrealista”, resume ainda, na brincadeira, sem deixar de frisar a “extrema qualidade dos textos”, na sua opinião um dos trunfos deste livro publicado pela Texto Editora.
CANAIS INOVADORES
O conceito inovador deste projecto de Francisco Penim segue a tendência que o director dos canais temáticos da SIC (Radical, Mulher e Gold) pretende imprimir nas novas apostas da estação de Carnaxide para o cabo. Além do SIC Comédia, que substituirá o SIC Gold “depois do Verão”, como antecipa o responsável, Penim deixa ainda no ar a possibilidade de criar outros projectos para o cabo. “Estamos em condições de criar todos os canais que a TV Cabo quiser”, brinca o director, reforçando que, além do SIC Comédia, há um outro projecto na calha do qual apenas desvenda que “será muito inovador.”
Inovadores, de certo modo, foram também as excelentes audiências de Junho dos canais temáticos SIC Radical, Mulher e Gold, que ocuparam, respectivamente, os 4.º, 6.º e 8.º lugares do ‘ranking’ dos mais vistos no universo cabo.
O canal SIC Mulher conseguiu mesmo o seu melhor ‘share’ mensal de sempre, 4,6%, desde o arranque, em 2003. No que respeita à Radical, conquistou 6,6% de ‘share’, valor só batido em Janeiro de 2003 (6,8%), e a SIC Gold chegou ao melhor resultado dos últimos dois anos, com 3,5% de quota de mercado.
“O resultado está toldado pelo que aconteceu no primeiro fim-de-semana de Junho – o ‘Rock in Rio’–, que foi recorde de audiências para a SIC Radical e SIC Mulher”, admite o responsável. Mas não deixa de frisar que este “desempenho criou um lastro suficiente para atrair” outros públicos e fidelizar os já existentes. Quanto à SIC Gold, aproveitou o desempenho dos seus ‘pares’ e ganhou também “por arrastamento.”
Ver comentários