SONHOS TRAÍDOS: SÓCRATES ACABA CASADO

Casar com a mulher que sempre amou em segredo, a “Alice” (Eunice Muñoz), é o destino feliz do marginal convertido “Sócrates”, personagem interpretada por Ruy de Carvalho, em “Sonhos Traídos”, a telenovela da TVI que chega agora ao fim.
21.11.02
  • partilhe
  • 0
  • +
O actor confirma que “Sócrates” fica “completamente amparado”, na companhia da sua apaixonada e das quatro irmãs que deram origem à história. “Acho que este é um final muito bonito”, diz satisfeito. Com efeito, “Sócrates” sempre amou “Alice”, sua cunhada. E era correspondido, apesar de nada se passar entre os dois. Ele é um homem sério, que sabe guardar segredos e nunca atraiçoa o irmão, mesmo sabendo que este não trata bem a mulher. Até que, no final, ela fica livre para aceitar o seu amor.

Na opinião do actor, “a ‘Alice’ dá-se bem é com o ‘Sócrates’, apesar de ambos discutirem muito.” E sublinha: “Acho que os casais que se dão bem discutem muito. Mas passam a vida a fazer as pazes, o que é bom.” Com a chegada de “Benedita” (Danae Magalhães) e das irmãs a Portugal, “Sócrates” começa a sociabilizar-se aos poucos e deixa a forma marginal de viver, como um vagabundo, que adoptara muitos anos antes, ao perder a mulher e a filha.

É que “Benedita” faz-lhe lembrar a sua filha... Em simultâneo com as gravações de “Sonhos Traídos”, Ruy de Carvalho contracenou com Eunice Muñoz na peça “A Casa do Lago”, de Filipe La Féria. Neste momento, é para a televisão que trabalha quase a tempo inteiro, reconhecendo ter “uma certa exclusividade na TVI e na NBP”. Após as inúmeras interpretações dos dois veteranos como casal romântico, Ruy de Carvalho admite que trabalhar com a Eunice Muñoz é quase como respirar: “Quanto melhor a contracena que temos, melhor é o nosso trabalho”.

Com um currículo invejável, o actor diz-se satisfeito por ser amado e reconhecido pelo público “Tenho recebido muitas homenagens, muita gratidão. As pessoas conhecem-me na rua, aqui e até, por vezes, no estrangeiro. Já me aconteceu chamarem-me pelo nome na Finlândia. Deve ser das telenovelas…” Uma grande vontade de conhecer o mundo tem levado Ruy de Carvalho a viajar por inúmeros países, umas vezes em trabalho, outras em lazer. Mas não se coíbe de dizer: “Quanto mais viajo, mais gosto de Portugal.” E acrescenta: “Acho que devia haver um extremo orgulho do povo que somos.

Não deveríamos dizer mal de tudo o que é nosso. Ficámos um bocadinho maldizentes e isso é uma atitude invejosa e subserviente. É falta de cultura”, salienta. Segundo o actor, “a cultura abre os olhos às pessoas. A arte e a cultura distraem e dão muita felicidade, mais do que qualquer droga. Tal como o sorriso, uma ‘droga’ maravilhosa! E que não custa dinheiro…” Ruy de Carvalho teve, no entanto, poucos motivos para sorrir quando, juntamente com outros colegas, recebeu ordem de saída do Teatro Nacional D. Maria II, há 16 meses. “Foi por sermos velhos”, denuncia, contrapondo que “um actor, quanto mais velho, mais pode dar ao público.” “Os actores deviam morrer no palco”, conclui Ruy de Carvalho.

Empresário em “Saber Amar”

Ruy de Carvalho será um empresário rico e de bem com a vida em “Saber Amar”, a nova telenovela da TVI, que, originalmente, se chamava “Geração Rebelde”. Este poderá, no entanto, não ser ainda o nome final. Ao lado do actor veterano, que completa 76 anos em breve e já tem 43 de carreira, veremos um jovem que se tornou conhecido na “Academia de Estrelas”, o Manel, ou melhor Manuel Melo, e cuja actuação ficou na memória ao imitar os “bonecos” de Herman José. Ele será o fiel assistente da personagem interpretada por Ruy de Carvalho. As gravações já começaram, nos estúdios da NBP, em Vialonga, e deverão ir para o ar mal acabe “Sonhos Traídos”.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!