Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
4

Telenovelas

Entre Portugal e o Brasil há um fosso cada vez menor. E isso explica a liderança da TVI.
4 de Novembro de 2005 às 00:00
Telenovelas
Telenovelas
As telenovelas ainda ocupam a maior parte do tempo de emissão dos canais generalistas SIC e TVI. Mas começou a assistir-se, desde há algum tempo, a um fosso cada vez menor entre as que são produzidas no Brasil pela Globo e as que a TVI transmite. E isso explica muito da liderança que a estação de Queluz tem tido em termos de audiência. O tempo em que o país parava para ver ‘Gabriela’ acabou.
As telenovelas brasileiras foram ainda a espinha dorsal da SIC no seu período de arranque e o seu motor que, aliado a outros bons condimentos, levaram o canal de Carnaxide ao primeiro lugar. Mas depois de uma boa bonança vem, quase sempre, uma péssima tempestade. A TVI conseguiu criar uma escola de produção de telenovelas, que têm subido de qualidade no horário nobre e que conseguiram, também, aliciar os mais jovens com produtos menos exigentes como ‘Morangos com Açúcar’. Os argumentos melhoraram, os actores perderam o ritmo teatral, a rapidez de execução aumentou. Face a isso a SIC continuou amarrada ao que vinha do Brasil.
E, na busca de novidade, qualquer passo em falso resulta numa catástrofe. As últimas telenovelas brasileiras da SIC não têm o ‘glamour’ de outros tempos. E isso é hoje o grande desafio que se coloca à direcção de programas de Carnaxide. Há vida para lá do sotaque brasileiro?
Ver comentários