Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
1

Todos juntos na cama

Valentina Torres morre de saudades dos filhos e do marido. Por isso, promete não largar a família nos tempos mais próximos, ou seja, ela, o marido e os filhos vão dormir todos na mesma cama.
3 de Novembro de 2005 às 00:00
Valentina agredeceu ontem aos camaradas todo o apoio que lhe deram
Valentina agredeceu ontem aos camaradas todo o apoio que lhe deram FOTO: Vítor Mota
“Durante p’ra aí três dias vamos dormir os quatro juntos”, confessou ontem a recruta aos companheiros.
Armando Gama, marido da ex-locutora, achou a ideia muito ternurenta e “revela bem as saudades que ela sente”, mas não se surpreendeu com o desejo da mulher, considerando, até, a ideia “boa. É costume, aos fins-de-semana, os nosso filhos virem ter connosco à cama e deitarem-se ao nosso lado. É uma espécie de ritual, conversamos, mandriamos...”
O músico recorda que desde muito pequenos que Ana Carolina e António, hoje com 18 e 14 anos, respectivamente, têm por hábito saltar para a cama dos pais. “Portanto, não me admiro nada que isso aconteça já na segunda-feira de manhã, porque estamos todos com muitas saudades dela. A cama é suficientemente grande para cabermos lá todos. Aliás, com as saudades que temos... até vai sobrar espaço”, diz o cantor.
Armando Gama está no entanto consciente de que Valentina terá de se habituar à ‘vida civil’ e à exposição mediática. “Nos primeiros dias, vamos ter de a deixar descansar e fazer um interregno durante um período. Depois, a Valentina decidirá o que fazer à vida dela”, conta.
Em princípio, no dia a seguir à passagem de Valentina à disponibilidade os filhos vão para as aulas. “Terão um dia normal, mas a mãe é que decide o que vai acontecer”, acrescenta.
Uma coisa é certa, à noite, o casal, Valentina e Armando, cumprirá um velho ritual: “Todas as segundas-feiras, dia da minha folga no Casino Estoril, vamos jantar numa marisqueira aqui da zona [Ericeira]. A Valentina vai deliciar-se com uma sapateira. Ela adora.”
A ex-locutora, para lá da revelação sobre a intimidade familiar, chorou quando fez o balanço da recruta. Disse, então, aos companheiros e superiores que quando entrou para o quartel era uma pessoa sem auto-estima, levando, porém, a sua melhor arma, a capacidade de fazer os outros rir. E, depois, ainda com as lágrimas nos olhos , agradeceu a todos pelas vitórias conseguidas, pois sem eles não superaria os desafios.
O marido, por sua vez, garante que quer ajudar Valentina a manter a auto-estima e a dieta. E lembra: “Ela deve isso aos fãs.”
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)