Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media

Virgílio Castelo colabora na ficção

Virgílio Castelo está a colaborar com a RTP numa co-produção luso-brasileira com a TV Bandeirantes. O projecto encontra-se ainda numa fase inicial, apurou o CM, mas, se o guião, que está a ser escrito em parceria por um guionista brasileiro e uma equipa portuguesa, agradar, o canal público e a Band poderão chegar a acordo para a realização de uma série de ficção inspirada na obra de Camilo Castelo Branco. ‘Amor de Perdição’, um dos grandes clássicos da literatura portuguesa, dá o mote.
15 de Janeiro de 2006 às 00:00
Obra de Camilo Castelo Branco chama Virgílio Castelo para a RTP
Obra de Camilo Castelo Branco chama Virgílio Castelo para a RTP FOTO: Pedro Catarino
“Estou a colaborar com a RTP nesse projecto”, confirmou ao CM Virgílio Castelo, sem, no entanto, revelar pormenores, quer da sua função na nova aposta da estação do Estado, quer sobre o conceito da mesma. “Há a vontade de a RTP fazer programas de ficção com o Brasil, nomeadamente com a Band, mas não posso adiantar mais nada, porque está tudo numa fase muito inicial”, rematou o actor, que participou recentemente na novela ‘Mistura Fina’, da TVI.
O amor maior de Camilo Castelo Branco e Ana Plácido é reconhecido por todos os portugueses e, depois de uma primeira abordagem em ‘A Ferreirinha’, a bem sucedida série histórica de Francisco Moita Flores para a estação pública, em 2004, a RTP quer novamente este amor trágico no pequeno ecrã.
Depois de Catarina Furtado e João Reis protagonizarem a história do clássico português, é a vez de um elenco luso-brasileiro se perfilar para concretizar a série que a RTP e a Band estão a idealizar. Para já, o projecto está numa fase de arranque, sem compromisso entre as duas estações. Depois de o guião estar concluído, se existir acordo quanto a orçamentos, as duas estações juntar-se-ão para dar seguimento à nova série de ficção.
Recorde-se que, aquando da apresentação das linhas estratégicas de programação do canal público para 2006/07, Nuno Santos, director de programas, deixou clara a aposta neste género televisivo. O ano de 2005 foi já profícuo em exemplos de ficção nacional baseada em obras e autores portugueses de referência. Depois do êxito de ‘A Ferreirinha’, Moita Flores voltou a assinar ‘João Semana’, a partir do livro ‘As Pupilas do Senhor Reitor’, de Aquilino Ribeiro. Depois da exibição de ‘Pedro e Inês’, ‘Quando os Lobos Uivam’, adaptado do romance homónimo de Aquilino Ribeiro, ainda sem estreia marcada, é mais um exemplo de ficção histórica na RTP, ambos da responsabilidade de Moita Flores.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)