Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
6

VOU CHORAR COM AS SAÍDAS

Marta Pereira é uma das caras mais conhecidas da televisão portuguesa. Foi manequim, bailarina, apresentadora e actualmente coloca a sua experiência frente às câmaras ao serviço dos jovens candidatos a estrelas da pop do programa ‘Ídolos’. Na recta final do concurso, os ensinamentos da orientadora de expressão corporal são mais preciosos do que nunca.
18 de Novembro de 2003 às 00:00
Desde o início da fase das galas, cada semana é de trabalho intenso. Às quartas-feiras, Marta trabalha cerca de duas horas individualmente com cada um dos concorrentes, sendo que as quintas e sextas-feiras são passadas no estúdio, em ensaios gerais mas também "em brincadeiras e técnicas que ajudam os jovens cantores a relaxar e a enfrentar o stress", revelou ao CM.
Nesta fase da competição, as "dicas" de Marta são cada vez mais importantes, ou não tivessem os finalistas de enfrentar, pela primeira vez, e em simultâneo, o júri, uma plateia de 500 pessoas, câmaras, claques e os muitos milhares de telespectadores que os estão a ver em directo pela SIC.
"Todos os candidatos estão muito nervosos. Eles são muito pressionados pelos directos e pelas galas, visto que em cada uma é eliminado um deles. Na medida em que poucos tinham já experiência de palco, sentem que têm que dar tudo por tudo", contou.
APRENDER COM OS ERROS
Marta Pereira tem um invejável currículo televisivo, tendo sido bailarina e assistente de programas como ‘Ai os Homens!’, ‘Minas e Armadilhas’, ‘Cantigas de Maldizer’, e ‘Negócio Fechado’, além de ter apresentado ‘Estilo’, no canal Viver da TV Cabo. No entanto, garante que aprendeu tudo "à custa dos erros". "Ao longo da minha carreira, aprendi com puxões de orelhas, alguns 'pontapés' e cheguei a perder alguns projectos porque desconhecia determinadas coisas. Ser orientadora dos candidatos a 'Ídolos' permite-me transmitir-lhes o que aprendi e impedir que eles caiam nos mesmos erros. Além disso, é um desafio completamente diferente do tudo aquilo que já fiz, que me dá muito orgulho e prazer", relembrou.
Habituada a conviver de perto com o talento mas também com as inseguranças e dificuldades dos candidatos a ‘ídolos’, Marta fez questão de frisar que "haverá muitas surpresas até ao final do programa". "Eles sabem que têm de mostrar que são capazes de encarnar diferentes personagens, e que precisam de evoluir e surpreender o público e o júri todas as semanas", acrescentou.
À orientadora, que passa as galas presa aos monitores nos bastidores do programa, resta aplaudir os êxitos e acarinhar os que são obrigados a abandonar o "sonho". "Chorei com a saída do Dércio e sei que isso vai repetir-se com todas as saídas. Mas tenho de fazer-me forte, disfarçar as emoções e apoiá-los corajosamente", confessou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)