Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Em quarentena mantenha o número de refeições, mas reduza as porções

Nutricionista Sónia Marcelo explica como não pode ingerir a mesma quantidade de alimentos que consumia antes. Gasta menos energia e pode aumentar de peso.
Por Susana Lúcio 13 de Abril de 2020 às 09:55

Se continua a comer o pequeno-almoço que comia antes de entrar em isolamento social corre sério risco de ver o ponteiro da balança a acrescentar quilos ao seu peso ideal. Estar fechado em casa dias-a-fio, com quase nenhuma atividade física, a juntar a uma ansiedade crescente, perante o evoluir da pandemia em Portugal e no mundo, é a receita ideal para uma crise de obesidade.

"Já pensei nisso. É bem possível que, depois de superamos esta crise sanitária, tenhamos de lidar com uma crise de obesidade", diz a nutricionista Sónia Marcelo. Para evitar isso, é necessário fazer algumas alterações aos seus hábitos alimentares.

Respeite horários

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

E se pudesse reiniciar o cérebro? Os conselhos de um neurologista

O cérebro humano está a ser gravemente manipulado pelos estímulos da tecnologia e as consequências refletem-se em comportamentos que nos deixam cada vez mais doentes. Em Limpeza Cerebral, o recém lançado livro do neurologista David Perlmutter e do médico internista Austin Perlmutter, reúnem-se técnicas para combater esta realidade.

Bem Estar e Nutrição

Cirurgia estética. Quais são os procedimentos mais pedidos?

Especialista em cirurgia plástica e medicina estética, Sofia Santareno fala sobre o impacto da sua "arte manual" na saúde mental, da mudança de paradigma nesta área, e de como este tipo de procedimentos deixaram de ser tabu.