Barra Cofina

Harmonização facial: o novo tratamento estético que faz a pele rejuvenescer

Modelação do rosto permite, em poucos minutos, adiar o recurso à intervenção cirúrgica.
Por Vanessa Fidalgo 12 de Janeiro de 2020 às 01:30
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Ana Silva Guerra, cirurgiã plástica
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Ana Silva Guerra, cirurgiã plástica
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Harmonização facial: Já não é preciso ir ao bisturi para rejuvenescer. Maria João aderiu ao procedimento
Ana Silva Guerra, cirurgiã plástica
É a nova moda das cirurgias e dos tratamentos estéticos: modelar o rosto para o tornar mais harmonioso e, dessa forma, enaltecer a beleza dos traços naturais, mas também atrasar os sinais do envelhecimento.

As celebridades do mundo virtual foram as primeiras a promover esta nova tendência da estética, primeiro com a correção das próprias fotografias e selfies e, depois, através do bisturi ou intervenções à base de ácido hialurónico e toxina, que permitem adiar o recurso à cirurgia.

Nas mulheres, os resultados prometidos assemelham-se a autênticos milagres: maçãs salientes como na juventude, lábios proporcionais e com volume, mas de contornos naturais, sobrancelhas levantadas ou um queixo mais pronunciado.

São os traços da moda, na procura de rosto equilibrado e, sobretudo, mais jovem. No sexo masculino, as transformações estéticas têm, da mesma forma, cada vez mais adeptos: os homens querem realçar os traços do queixo e o maxilar, tornando o rosto mais atraente e, principalmente, viril.

E, claro, caso a harmonização facial seja opção, escolha um profissional certificado: lembre-se que a utilização de outro tipo de materiais de preenchimento podem desencadear infeções ou obrigar a cirurgias corretivas.

Apenas 15 minutos de tratamento
Maria João, de Lisboa, decidiu fazer um tratamento de olheiras e atenuação das rugas em torno dos lábios porque sentia-se com "um aspeto envelhecido e cansado".

O tratamento de harmonização facial não tem período de recuperação e, no caso de Maria João, demorou apenas 15 minutos.

Agora, Maria João sente-se rejuvenescida e pondera, no futuro, poder vir a fazer outras transformações que considerar necessárias, para manter o aspeto rejuvenescido, nomeadamente a aplicação de Toxina Botulínica ( o popular ‘botox"), de forma a atenuar as rugas vincadas da testa.

Ana Silva Guerra, cirurgiã plástica
"Vincos a surgir preocupa"
CM: No que respeita à harmonização facial, o que lhe pedem com mais frequência?
Ana Silva Guerra – O que preocupa desde cedo as pacientes é o aparecimento de vincos ou rugas entre o nariz e os lábios. E esta preocupação é transversal a todas as idades. À medida que a flacidez da pele se vai evidenciando, rugas, depressões vão surgindo no rosto.

– Mas não serve para mudar...
– O objetivo dos procedimentos não invasivos é melhorar a aparência, corrigindo sinais sem nunca transformar.

– A autoestima eleva-se?
– Sem duvida. Os sentimentos menos positivos são substituídos pela confiança e melhor relação com os que estão em redor.n

Prevenir o envelhecimento pode ser o melhor remédio
Tal como as patologias, as mudanças estéticas associadas ao avanço da idade são altamente específicas para cada pessoa, começando em diferentes partes do corpo, em momentos diferentes e, com um ritmo e alterações também distintos nas células, tecidos e órgãos.

Sabe-se, no entanto que os fatores externos agridem violentamente o organismo e aceleram o processo de envelhecimento natural. Neste âmbito, os piores inimigos da juventude são a poluição atmosférica, o fumo, o álcool e a exposição exagerada às radiações solares ou sem proteção adequada.

Os estilos de vida, como o tipo de alimentação, a quantidade de horas de sono diárias, a ingestão de medicamentos a longo prazo, também são responsáveis por uma boa parte da fatura.

E como o envelhecimento não está apenas vinculado à estética mas, principalmente, à perda de funções, o melhor é começar a prevenir desde cedo, mudando alguns hábitos, para não ter depois de remediar. Fuja das dietas ricas em gordura saturada, do sal e do sedentarismo.

A mudança que cada vez mais desejam
A mamoplastia e a remoção de gordura localizada por lipoaspiração são atualmente os procedimentos cirúrgicos mais solicitados no universo da estética.

Todavia, segundo os especialistas, regista-se igualmente um aumento da procura, sobretudo de pessoas com idades entre os 50 e 60 anos, para ações de rejuvenescimento facial e cervical (lifting) com recurso a técnicas cirúrgicas.

Conselho da semana
Pesquise sobre o material mais adequado ao seu caso.

Durante muito tempo, mais concretamente desde os anos 60, a gordura foi, por exemplo, muito utilizada na cirurgia plástica e continua a ser um excelente material de preenchimento.

Porém, este material acarreta limitações quando usado na face: irregularidades, desproporção (que não é fácil de antecipar?), assim como a oscilação de volume do local tratado.

Conselhos para o coração
Terminou uma década em que muito se valorizou a saúde de cada um (bem inalienável e único para cada ser humano). Deixar de fumar é a decisão que melhor pode servir este objetivo, pois este é o maior risco conhecido para a saúde, hoje.

Como proceder? Ganhe motivação para abandonar o fumo – leia, medite, passeie! Leve em conta os enormes riscos de continuar este hábito. Decida-se! Marque uma data para cessar - é fundamental. Depois, prepare bem as alternativas (positivas) ao tabaco. Faça por elevar a sua autoestima.

No trabalho ou no lazer faça pausas de recuperação … mas sem tabaco.

E não procure substitutos, evitando passar para tabaco aquecido ou eletrónico. Mas se o fizer, marque também uma data para cessação desses hábitos.

Agora, que se prepara para largar definitivamente o tabaco tente aproveitar os aspetos bons de viver – cante, declame, sorria, ame! Desenvolva esse lado positivo, alimente-se bem, perda excesso de peso, exercite-se. Vai ver que não custa nada.

Deixar de fumar é uma maravilha!

Primeiros socorros
Não negligencie as queimaduras causadas pelo frio. Saiba como reconhecer a gravidade da lesão e como proceder quando não tem auxílio médico por perto.

Pele firme, branca e com formigueiro
As queimaduras pelo frio são lesões causadas pela formação de gelo na pele e vasos sanguíneos que provocam perda de sensibilidade e alteração da cor nas zonas afetadas. Estas queimaduras atingem mais frequentemente o nariz, orelhas, bochechas, queixo, dedos das mãos e dos pés e resultam da exposição ao frio intenso por períodos mais ou menos prolongados.

As crianças e os idosos são os grupos mais vulneráveis. Como reconhecer queimaduras pelo frio? Ao primeiro sinal de vermelhidão ou dor em qualquer zona da pele, saia do frio e proteja a pele exposta. Qualquer dos seguintes sinais poderá indicar queimaduras: área da pele branca ou acinzentada; pele invulgarmente firme ou cerosa; formigueiro.

Procure o calor e coloque água morna
Se detetar sinais de queimaduras procure ajuda médica. Se existirem queimaduras sem sinais de hipotermia e não existir auxílio médico imediato, proceda da seguinte forma: vá para uma divisão aquecida logo que possível; submerja a área afetada em água morna não quente (a temperatura deverá ser confortável ao toque nas áreas do corpo não afetadas), ou aqueça a área afetada com calor corporal; não massaje a área queimada, pois pode causar mais danos; não use compressas aquecedoras, ou fontes de calor para aquecer, uma vez que as áreas afetadas estão dormentes e poderão queimar facilmente.

Estes procedimentos não substituem os cuidados médicos - as queimaduras devem ser avaliadas.
Notícias Recomendadas
Família

Quando as crianças recusam comer

É normal que as crianças reajam com estranheza aos sólidos. Mas há quem rejeite pão, fruta e vegetais durante anos – e precise de ajuda profissional.