Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Investigadores do Porto descobrem novo gene que explica predisposição para a enxaqueca

O trabalho foi recentemente distinguido pela Sociedade Portuguesa de Neurologia com o Prémio Orlando Leitão.
Por Lusa 4 de Dezembro de 2020 às 14:22
Dor de cabeça
Dor de cabeça FOTO: Getty Images
Uma investigação, liderada por Miguel Alves-Ferreira, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto, descobriu um novo gene que está presente na comunicação entre os neurónios e que predispõe para a enxaqueca.

O trabalho, que foi recentemente distinguido pela Sociedade Portuguesa de Neurologia com o Prémio Orlando Leitão, destinado à melhor comunicação oral apresentada no congresso anual desta sociedade científica, apresenta, segundo o i3S, "novos dados para a compreensão da doença e desenvolvimento de novas terapias".

A enxaqueca é uma doença crónica caracterizada por episódios de dor de cabeça intensa, associados a sintomas neurológicos e autonómicos. Tem uma prevalência muito elevada (é a terceira doença mais comum no mundo, mais prevalente do que a diabetes, epilepsia e asma juntas) e um grande impacto socioeconómico, sendo considerada pela Organização Mundial de Saúde como a oitava causa de incapacidade.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Deixou de fazer exercício físico e agora?

Começou com uma semana que depressa se tornou num mês e, quando deu por si, já não treinava há um ano. Pensava mesmo que o seu corpo não ia dar conta? Um especialista explica o que acontece física e mentalmente quando deixamos de nos exercitar regularmente. E avança com soluções para voltar à boa forma.