Barra Cofina

Tratamento inovador ao menisco permite recuperação num mês

Nova solução repara o menisco em vez de o remover.
Por Francisca Genésio 14 de Dezembro de 2019 às 01:30
Fisioterapia ajuda, de acordo com os especialistas, na recuperação após uma intervenção minimamente invasiva ao joelho. É comum a perda muscular durante a  recuperação
Fisioterapia ajuda, de acordo com os especialistas, na recuperação após uma intervenção minimamente invasiva ao joelho. É comum a perda muscular durante a recuperação FOTO: Direitos Reservados
O joelho é a maior articulação do corpo humano e uma das mais complexas. Por essa razão, é a que mais frequentemente sofre lesões, sobretudo no menisco.

Há uns anos, esta era a localização que mais preocupava os especialistas, já que a recuperação da lesão era difícil e nem sempre o problema ficava resolvido, mesmo com cirurgia: anos depois, a lesão evoluía para artrose. Hoje em dia, com o avanço da Medicina, é possível operar em apenas 30 minutos e recuperar em um mês.

"Sabendo nós, médicos, que o tecido meniscal naturalmente vai estando menos irrigado e vai perdendo a capacidade de cicatrização e vitalidade, temos optado por mapear essa irrigação de forma a conseguirmos reparar os meniscos, em vez de o removermos", explica ao CM o ortopedista e diretor clínico da clínica Giga Saúde, em Lisboa, Pedro Beja da Costa.

A intervenção é minimamente invasiva. "Através de dois furinhos, entramos no joelho com uma câmara e conseguimos, com os instrumentos certos, realizar a intervenção, de acordo com o diagnóstico", reforça o médico.

Diagnóstico feito com ressonância
O diagnóstico das lesões no joelho é normalmente feito com recurso à história clínica do paciente mas também através de uma ressonância magnética. A imagem ajuda a caracterizar o tipo de lesão.

Pedro Beja da Costa, ortopedista e diretor clínico da Giga Saúde
"Anestesia pode ser local"
CM - Como é escolhido o tratamento a realizar no joelho de cada paciente?
Pedro Beja da Costa
– Em primeiro lugar, olhando para cada pessoa como um caso único. Cada paciente recebe tratamento personalizado. Tudo o que existe de inovador, em qualquer parte do Mundo, é feito na nossa clínica. A partir daí, é analisar caso a caso e ver que solução é a mais indicada para cada caso.
– A intervenção minimamente invasiva é feita com recurso a anestesia?

– Sim e, dependendo a intervenção, pode ser local ou geral.
– Depois da intervenção, é necessária fisioterapia ou medicina de reabilitação?
– Tudo depende do paciente mas, de uma forma geral, diria que sim. A medicina de reabilitação é importante para que o paciente volte a ganhar o músculo que perdeu.

PORMENORES
Dor ao descer escadas
Os sintomas mais comuns de lesões no menisco são: dor, rigidez, inchaço, sensação de perda de controlo do joelho e instabilidade. O ortopedista Pedro Beja da Costa alerta ainda para "dor muito forte ao descer e subir escadas".

Desgaste da cartilagem
As lesões dos meniscos são normalmente causadas por impacto súbito. Os desportistas têm maior probabilidade de vir a sofrer de problemas nos joelhos. A idade é também um fator de risco, já que ocorrem alterações degenerativas da cartilagem – que a enfraquecem. Nestes casos, basta levantar-se de uma cadeira para sofrer uma lesão.
Notícias Recomendadas