Barra Cofina

Síndrome de Guillain-Barré: Patologia 'rouba' a força muscular, causa dificuldade a andar e prolonga-se por semanas

Estados Unidos alertaram para uma ligação entre a vacina da Janssen e a síndrome.
13 de Julho de 2021 às 09:04
Síndrome debilita o paciente por semanas
Síndrome debilita o paciente por semanas FOTO: Getty Images
Os Estados Unidos alertaram esta terça-feira para uma ligação entre a vacina da Janssen e a síndrome de Guillain-Barré. O aviso, ainda não oficializado, será emitido pela Food and Drug Administration (FDA), a agência governamental responsável pela aprovação da utilização de novos medicamentos, vacinas e outros produtos relacionados com a saúde pública.

Mas que síndrome é esta? A síndrome de Guillain-Barré é uma doença rara do sistema imunitário que causa inflamação dos nervos e pode levar à dor, dormência, fraqueza muscular e dificuldade em andar. Em geral, a fraqueza começa nas pernas, depois sobem para os braços até percorrer o corpo todo. 

Esta costuma piorar ao longo de alguns dias ou semanas, voltando depois lentamente ao normal. As pessoas que desenvolvem esta síndrome são hospitalizadas imediatamente, pois os sintomas podem piorar rapidamente, explica o Manual MSD.

A imunoglobulina administrada por via intravenosa ou plasmaférese acelera a recuperação é geralmente usada para tratar destes pacientes.

A causa da síndrome de Guillain-Barré é uma reação autoimune, ou seja, o sistema imunológico do organismo ataca um ou os dois dos seguintes: a bainha de mielina, que envolve o nervo e permite que os impulsos do nervo se desloquem rapidamente ou a parte do nervo que envia mensagens (chamada de axónio). 

A fraqueza causada por esta síndrome geralmente piora em 3 ou 4 semanas, e depois permanece ou retorna ao normal. Se piorar por mais de oito semanas, passa a ser considerada polineuropatia desmielinizante inflamatória crónica (PDIC) e não síndrome de Guillain-Barré.

"Quando a doença é grave, os músculos da face e da deglutição se tornam fracos em mais da metade das pessoas afetadas. Quando esses músculos estão fracos, as pessoas podem engasgar ao se alimentar ou se tornam desidratadas e desnutridas", descreve o Manual MSD.

O diagnóstico é feito através de avaliação médica ou pela realização de uma eletromiografia e estudos de condução nervosa, imagem por ressonância magnética, exames de sangue e uma punção lombar. "Uma combinação de níveis elevados de proteínas e poucos ou nenhum glóbulo branco no líquido cefalorraquidiano, bem como indícios específicos observados na eletromiografia, sugerem a presença da síndrome de Guillain-Barré", aponta o manual médico.

Os sintomas podem ser sentidos ao longo de 8 semanas e, sem tratamento, a maioria das pessoas com síndrome de Guillain-Barré melhora lentamente ao longo de meses. Com um tratamento precoce, é possível melhorar em apenas alguns dias ou semanas.

Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Água com gás: saudável ou nem por isso?

Melhora a digestão, pode ajudar a perder peso, e é mais interessante do que a água pura do ponto de vista nutricional, dizem alguns especialistas. Mas nem todos têm a mesma opinião.