Salários em Portugal sobem abaixo da média da UE

Custos do trabalho no país cresceram apenas 1,2% no segundo trimestre deste ano.
Por Diana Ramos|15.09.18
Salários em Portugal sobem abaixo da média da UE
Foto Luís Vieira
Portugal é o quarto país da União Europeia (UE) onde os custos com o trabalho - um indicador onde também são contabilizados os salários - menos subiram. Segundo dados do Eurostat, o gabinete de estatística da UE, entre março e junho deste ano, os encargos com vencimentos no País cresceram apenas 1,2% face ao mesmo período do ano anterior.

Atrás de Portugal, só três países apresentam um pior desempenho: o Luxemburgo teve a menor subida da UE, com os custos por hora trabalhada a aumentarem 0,6%; seguem-se-lhe a Espanha, com um acréscimo de 0,7%, e a Holanda, onde este indicador cresceu 0,9%. A comparação é sempre feita em termos homólogos.

O indicador usado pelo gabinete de estatística europeu é composto por duas componentes: de um lado é contabilizada a evolução dos salários dos trabalhadores e, do outro lado, a componente não salarial, onde se incluem por exemplo os descontos das empresas para a Segurança Social. No que toca a Portugal, os salários cresceram 1,4% no segundo trimestre deste ano, valor que também ele fica na parte de baixo da tabela dos acréscimos de vencimento registados nos 28 países da UE. Na Irlanda, por exemplo, essa variável cresceu 3,3% e na Grécia aumentou 3,4%. Já quanto à componente não salarial, Portugal registou um acréscimo de 2,1% de março a junho. Aliás, essa foi a parcela que mais pesou no aumento dos custos de trabalho no País. O que significa que, na prática, o aumento dos salários em pouco contribuiu para o crescimento do indicador salarial de Portugal no seio dos 28 países europeus.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!