Equipa da Polícia Marítima pronta "para salvar vidas"

Patrulhamento do ano passado saldou-se em 3600 resgatados do mar.
Por Sérgio A. Vitorino|01.05.17
Onze elementos da Polícia Marítima, auxiliados por dois faroleiros, iniciam hoje, na ilha grega de Lesbos, uma missão de patrulhamento de fronteiras semelhante à realizada em 2016, ano em que os portugueses resgataram mais de 3600 refugiados (900 deles crianças, incluindo bebés) em risco de vida no Mediterrâneo.

"O objetivo principal é o controlo e vigilância da fronteira marítima da Grécia e o combate ao crime. Mas, como aconteceu no anterior empenhamento [outubro de 2015 ao mesmo mês de 2016], se nos depararmos com pessoas em risco estamos prontos para salvar vidas", explica ao CM o chefe Pacheco Antunes, líder do contingente que hoje inicia a Poseidon 2017.

Esta missão, da agência europeia Frontex, de controlo de fronteiras, começou a ser preparada há alguns meses e conta com a experiência da Poseidon 2016. "Liderei a primeira missão em outubro de 2015. Os locais estão muito felizes pelo nosso regresso", assegura Pacheco Antunes.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!